Um método viável para extrair DNA do câmbio de árvores de dossel alto: da coleta à aplicação

Érica MANGARAVITE Vanessa TERRA Eric Koiti Okiyama HATTORI Thaís Carolina da Silva DAL’SASSO Leonardo Lopes BHERING Luiz Orlando de OLIVEIRA Sobre os autores

RESUMO

Muitas árvores tropicais possuem dossel alto e folhas não facilmente acessíveis. O uso de tecido de um órgão mais acessível (câmbio) para extração de DNA pode ser uma alternativa para estudos moleculares. Nós adaptamos uma metodologia viável para extrair DNA genômico de tecido cambial coletado no campo para avaliação com PCR. Testamos três condições de armazenamento (dois tampões e sílica gel) e quatro períodos após a coleta. Utilizamos protocolos descritos anteriormente e os testamos em três espécies encontradas em florestas amazônicas e outros biomas: Anadenanthera peregrina var. peregrina, Cedrela fissilis e Ceiba speciosa. Nosso protocolo foi eficaz na obtenção de DNA adequado para sequenciamento e genotipagem de microssatélites. Recomendamos o uso de sílica para armazenamento de longo prazo e o tampão com ácido ascórbico para curto prazo.

PALAVRAS-CHAVE:
ácido ascórbico; ditiotrietol; isolamento de DNA

Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia Av. André Araujo, 2936 Aleixo, 69060-001 Manaus AM Brasil, Tel.: +55 92 3643-3030, Fax: +55 92 643-3223 - Manaus - AM - Brazil
E-mail: acta@inpa.gov.br