Primary and secondary thickening in the stem of Cordyline fruticosa (Agavaceae)

O crescimento em espessura do caule de monocotiledônea pode ser primário, ou primário e secundário. A maioria dos autores consideram o espessamento resultante do MEP (Meristema de Espessamento Primário) e do MES (Meristema de Espessamento Secundário). Há divergências de qual seria o meristema responsável pelo espessamento primário. Em Cordyline fruticosa o procâmbio forma feixes vasculares de dois tipos: traços foliares colaterais (com proto e metaxilema e proto e metafloema), e feixes caulinares concêntricos (com metaxilema e metafloema). O procâmbio também forma o periciclo, a camada mais externa do cilindro vascular, constituída por células menores e menos coradas que se dividem irregularmente, formando novos feixes vasculares. O periciclo dá continuidade à atividade procambial, originando somente feixes concêntricos. Concluiu-se ser o periciclo responsável pelo espessamento primário desta espécie. Mais distante do ápice as células pericíclicas passam a sofrer divisões periclinais originando o Meristema de Espessamento Secundário. A análise dos cortes seriados mostra que o periciclo e o MES são contínuos nesta espécie, ficando claro que o periciclo origina oMES. A endoderme é reconhecida, apenas, como a camada mais interna do córtex.

periciclo; traços foliares colaterais; feixes caulinares concêntricos


Academia Brasileira de Ciências Rua Anfilófio de Carvalho, 29, 3º andar, 20030-060 Rio de Janeiro RJ Brasil, Tel: +55 21 2533-6274, +55 21 2532-0562 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: aabc@abc.org.br