Removal of clay by stingless bees: load size and moisture selection

RAUL COSTA-PEREIRA Sobre o autor

Alguns organismos têm custos energéticos associados com o transporte de recursos, que não necessariamente são alimentos. Algumas abelhas sem ferrão da Amazônia Central (Melipona flavolineata e M. lateralis) coletam argila na margem de córregos para a construção do ninho. A umidade da argila varia ao longo do barranco e as abelhas coletam argila de pontos específicos, o que sugere que há preferência. Aqui testo se abelhas maiores transportam mais argila; se existe preferência pela umidade do substrato; e se abelhas são menos eficientes na coleta e transporte de argila com elevada umidade. Para isso, eu medi o tamanho das abelhas e das agregações de argila na corbícula. Eu realizei um experimento de campo para testar a preferência de umidade do substrato. A quantidade de argila transportada aumentou exponencialmente com o tamanho da abelha e o substrato preferido foi o de menor umidade. A quantidade de argila removida e a eficiência de remoção não foram influenciadas pela umidade do substrato. A argila com maior umidade é mais densa, o que sugere que as abelhas gastam mais energia para transportar a mesma quantidade de argila quando ela está mais úmida. Esse pode ser o mecanismo para explicar a preferência de remoção pela argila com menor umidade.

corbícula; Melipona ; preferência de substrato; eficiência de remoção; construção do ninho


Academia Brasileira de Ciências Rua Anfilófio de Carvalho, 29, 3º andar, 20030-060 Rio de Janeiro RJ Brasil, Tel: +55 21 3907-8100 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: aabc@abc.org.br
Accessibility / Report Error