Determinism, chaos, self-organization and entropy

JOSÉ PONTES Sobre o autor

RESUMO

Este trabalho discute duas mudanças de paradigma ocorridas na ciência ao longo do século XX: fi m do determinismo mecanicista, e fi m da aparente incompatibilidade entre a biologia, onde a emergência de ordem é lei, e a física, postulando a progressiva desordenação dos sistemas naturais. Reconhecemos hoje que três mecanismos desempenham papel primordial na construção de ordem: a condição necessária de não linearidade, presente em muitas das leis de evolução, juntamente com distância do equilíbrio, e com o novo paradigma que emergiu nos últimos quarenta anos, de que redes apresentam propriedade coletivas de ordem não encontradas nos nós individuais. Discute-se também o resultado apresentado por Blumenfeld (L.A. Blumenfeld, Problems of Biological Physics, Springer, Berlin, 1981), mostrando que os decréscimos de entropia resultantes da formação de uma das mais complexas estruturas biológicas - o ser humano - são pequenos, podendo ser trivialmente compensados por processos químicos e físicos associados, de modo a satisfazer as leis da termodinâmica. A vida se faz ao preço de baixo custo termodinâmico, de modo que as leis da termodinâmica não representam, de fato, maior restrição à emergência de vida e de ordem em sistemas fora do equilíbrio. A entropia não captura a noção que temos de ordem nos sistemas biológicos. As questões acima mostram que a ciência não se está livre de confl itos e de recuos, muitas vezes resultantes de extrapolações excessivas.

Palavras-chave:
caos; sistemas dinâmicos; entropia; evolução da Ciência; formação de padrões; biologia teórica

Academia Brasileira de Ciências Rua Anfilófio de Carvalho, 29, 3º andar, 20030-060 Rio de Janeiro RJ Brasil, Tel: +55 21 3907-8100 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: aabc@abc.org.br