Molecular basis of mammalian cell invasion by Trypanosoma cruzi

Nobuko Yoshida Sobre o autor

O estabelecimento da infecção por Trypanosoma cruzi, o agente da doença de Chagas, depende de uma série de eventos envolvendo interações de diversas moléculas do parasita com componentes do hospedeiro. Focalizamos aqui os mecanismos de invasão celular por tripomastigotas metacíclicos (TM) e por tripomastigotas de cultura de tecido (TCT). Durante a internalização de TM ou TCT, vias de transdução de sinal são ativadas tanto no parasita como na célula alvo, acarretando a mobilização de Ca2+. Para adesão, TM utiliza as glicoproteínas de superfície como a gp82 e gp35/50, que são moléculas indutoras de sinal de Ca2+. Em isolados de T. cruzi que entram na célula hospedeira de maneira dependente de gp82, a proteína tirosina quinase assim como a fosfolipase C do parasita são ativadas, e Ca2+ é liberado de reservatórios sensíveis a IP3, enquanto em isolados de T. cruzi que se ligam às células alvo através de gp35/50, a via de sinalização envolvendo adenilil ciclase parece ser estimulada, com liberação de Ca2+ de acidocalciossomos. Além disso, dependendo do isolado de T. cruzi, sinais inibitórios mediados por gp90 específica de TM podem ser desencadeados tanto na célula hospedeira como no parasita. O repertório de moléculas de TCT implicadas na invasão celular inclui glicoproteínas de superfície da família gp85, com membros contendo sitos de ligação à laminina e citoqueratina 18, enzimas como a cruzipaína, trans-sialidase, e uma oligopeptidase B que gera um agonista de Ca2+ a partir de uma molécula precursora.

Trypanosoma cruzi; tripomastigotas; invasão celular; transdução de sinal; mobilização de Ca2+


Academia Brasileira de Ciências Rua Anfilófio de Carvalho, 29, 3º andar, 20030-060 Rio de Janeiro RJ Brasil, Tel: +55 21 2533-6274, +55 21 2532-0562 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: aabc@abc.org.br