Efeito da sacarose e irradiância na germinação e crescimento inicial do gametófito da samambaia arbórea Dicksonia sellowiana Hook (Dicksoniaceae) em perigo de extinção

Gladys Daniela Rogge Renner Áurea Maria Randi Sobre os autores

Esta samambaia arbórea ameaçada de extinção ocorre na floresta ombrófila mista, nos trópicos. Esporos esterilizados germinaram a 25 ± 2ºC em fotoperíodo de 16 horas, em meios de Dyer e MS, acrescidos de 0 a 5% de sacarose. A massa seca foi maior em gametófitos de 30 dias de idade, cultivados em meio Dyer com adição de 3% a 5% de sacarose e em meio MS com adição de 2% de sacarose. A massa seca diminuiu em gametófitos crescidos em meios Dyer e MS na ausência de sacarose e em meio MS acrescido de 5% de sacarose. O efeito de diferentes irradiâncias na germinação e desenvolvimento inicial de gametófitos foi analisado no outono de 1998 (de maio a julho). Frascos cônicos contendo esporos foram mantidos durante 49 dias dentro de caixas de 50cm³ revestidas por telas que forneceram 5, 20, 36 e 50% de irradiância. Os menores tempos médios de germinação foram observados para esporos que germinaram sob 5 e 20% de irradiância Os mais altos níveis de clorofila total foram observados em gametófitos filamentosos cultivados sob 5 e 20% de irradiância durante 49 dias. Os maiores níveis de açúcares solúveis totais foram observados em gametófitos filamentosos cultivados a 20% de irradiância durante 49 dias.

açúcar; clorofila; gametófito; germinação; irradiância


Sociedade Botânica do Brasil SCLN 307 - Bloco B - Sala 218 - Ed. Constrol Center Asa Norte CEP: 70746-520 Brasília/DF - Alta Floresta - MT - Brazil
E-mail: acta@botanica.org.br