Ontogênese do fruto de Garcinia gardneriana (Planch. & Triana) Zappi (Clusiaceae)

Marta Eglaé Camargo Asinelli Maria Conceição de Souza Káthia Socorro Mathias Mourão Sobre os autores

Garcinia gardneriana (Clusiaceae) é árvore de pequeno a médio porte frequente na Planície de Inundação do Alto Rio Paraná e de importância na alimentação das populações ribeirinhas, sendo consumida in natura e na forma de sucos e doces. O objetivo do presente estudo foi descrever aspectos morfológicos e estruturais dos frutos e sementes dessa espécie como contribuição à classificação do tipo de fruto e da porção carnosa e comestível que envolve as sementes. Ovários e frutos, em diferentes estádios de desenvolvimento foram coletados de cinco espécimes de uma população localizada na ilha do Aurélio, rio Baía (MS, BR) e processados segundo técnicas usuais em anatomia vegetal. O fruto é bacóide, esférico, de coloração amarelo-alaranjado. A casca é lisa e coriácea, constituída pelo exocarpo lignificado. O endocarpo é derivado da atividade de um meristema adaxial, cujas células alongam-se radialmente. A polpa tem coloração branca, comestível, de sabor doce, de origem principalmente endocárpica, mas é constituída também por parte do mesocarpo esponjoso, cujos ductos perdem a funcionalidade. Os óvulos anátropos e unitegumentados originam sementes também anátropas, exalbuminosas, com testa colapsada. O embrião é hipocotilar. Os caracteres aqui descritos de maneira geral são comuns a Clusioideae-Garcinieae e Symphonieae.

anatomia; Guttiferae; morfologia; pericarpo; semente


Sociedade Botânica do Brasil SCLN 307 - Bloco B - Sala 218 - Ed. Constrol Center Asa Norte CEP: 70746-520 Brasília/DF - Alta Floresta - MT - Brazil
E-mail: acta@botanica.org.br