Accessibility / Report Error

SUPLEMENTAÇÃO PERIOPERATÓRIA COM PROBIÓTICOS NA CICATRIZAÇÃO DE FERIDAS CUTÂNEAS EM RATOS DIABÉTICOS

Letícia Fuganti CAMPOS Eliane TAGLIARI Thais Andrade Costa CASAGRANDE Lúcia de NORONHA Antônio Carlos L. CAMPOS Jorge Eduardo F MATIAS Sobre os autores


Exemplo da diferença de área de contração da ferida: A) grupo controle no dia da operação; B) 7PO no grupo controle; C) grupo probiótico no dia da operação; D) 7PO no grupo probiótico

DESCRITORES:
Probióticos; Diabete melito; Cicatrização; Aloxano


RESUMO

Racional:

Feridas crônicas em pacientes diabéticos muitas vezes se tornam incuráveis devido à produção prolongada e excessiva de citocinas inflamatórias. A utilização de probióticos modifica a microbiota intestinal e modula reações inflamatórias.

Objetivo:

Avaliar a influência da suplementação perioperatória com probióticos no processo de cicatrização cutânea em ratos diabéticos.

Método:

Quarenta e seis ratos foram divididos em quatro grupos (C3, P3, C10, P10) conforme tratamento (P=probiótico ou C=controle, via oral) e dia de eutanásia: 3o ou 10o dia de pós-operatório. Todos os ratos foram induzidos ao diabete melito 72 h antes de iniciar o experimento com aloxana. A suplementação foi iniciada cinco dias antes da operação e mantida até a eutanásia. Foi realizada incisão com bisturi guiada por molde de 2x2 cm e a ferida foi deixada para cicatrizar por segunda intenção. As feridas foram medidas digitalmente. A densitometria de colágeno foi determinada com coloração picrosirius red. A histologia foi avaliada por coloração com H&E.

Resultados:

A contração da ferida foi maior no grupo P10, o que resultou em menor área cruenta (p=0,011). Houve aumento do colágeno tipo I do 3o para o 10o dia de pós-operatório no grupo P10 (p=0,016), o que não ocorreu no grupo controle (p=0,487). A análise histológica mostrou melhor grau de cicatrização no grupo P10 (p=0,005), com menos polimorfonucleares (p<0,001) e mais neovasos (p=0,001).

Conclusões:

A suplementação perioperatória de probióticos promove aceleração da cicatrização cutânea em ratos diabéticos, possivelmente por atenuar a resposta inflamatória e aumentar a neovascularização e a deposição de colágeno tipo I.

DESCRITORES:
Probióticos; Diabete melito; Cicatrização; Aloxano

Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva Av. Brigadeiro Luiz Antonio, 278 - 6° - Salas 10 e 11, 01318-901 São Paulo/SP Brasil, Tel.: (11) 3288-8174/3289-0741 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: revistaabcd@gmail.com