Tratamento da lipoatrofia facial associada ao HIV/AIDS: o impacto sobre a progressão da infecção avaliada pela contagem de CD4 e carga viral

Flávia Machado Gonçalves Soares Izelda Maria Carvalho Costa Sobre os autores

FUNDAMENTOS:

A Síndrome Lipodistrófica Associada ao HIV/AIDS compreende alterações na distribuição da gordura corporal, acompanhada ou não de alterações metabólicas. A perda da gordura facial, chamada lipoatrofia facial, é dos sinais mais estigmatizantes da síndrome.

OBJETIVOS:

Avaliar o impacto do tratamento dalipoatrofia facial com implante de polimetilmetacrilato sobre a progressão da doença, avaliada pela contagem da carga viral e a contagem de células CD4.

MÉTODOS:

Estudo prospectivlipoatrofia facial clinicamente detectável e sem tratamento prévio. Foi realizado implante de polimetilmetacrilato para preenchimento das áreas atróficas. Foram realizadas contagem da carga viral e células CD4 antes e após o tratamento.

RESULTADOS:

Dos 44 pacientes, 72,72% eram do sexo masculino e 27,27% do feminino, e idade média de 44,38 anos. Antes do tratamento, 82% dos pacientes apresentavam carga viral indetectável, que aumentou para 88,6% após o tratamento, mas sem significância estatística (p=0,67). A contagem de CD4 antes do implante variou de 209 a 1293, com média de 493,97. Após o tratamento, essa média aumentou para 548,61. O aumento do CD4 após o tratamento foi estatisticamente significativo, com p=0,02.

CONCLUSÃO:

O tratamento dalipoatrofia facial com implante de polimetilmetacrilato levou ao aumento estatisticamente significativo da contagem de CD4, mostrando impacto do tratamento da LF sobre a evolução da doença. A carga viral antes e após tratamento não variou de maneira estatisticamente significativa.

Carga viral; HIV; Linfócitos T CD4-Positivos; Polimetilmetacrilato; Síndrome de lipodistrofiaassociada ao HIV


Sociedade Brasileira de Dermatologia Av. Rio Branco, 39 18. and., 20090-003 Rio de Janeiro RJ, Tel./Fax: +55 21 2253-6747 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: revista@sbd.org.br