Fibrose nefrogênica sistêmica: conceitos e perspectivas

Ana Carolina de Souza Machado Igreja Kleyton de Carvalho Mesquita Shawn Edwin Cowper Izelda Maria Carvalho Costa Sobre os autores

Fibrose nefrogênica sistêmica é condição crônica, progressiva, desenvolvida caracteristicamente em pacientes nefropatas após exposição a contrastes radiológicos que contenham gadolínio. O espessamento cutâneo é aspecto típico, envolvendo predominantemente as extremidades. Envolvimento visceral pode ocorrer. O diagnóstico da doença requer cuidadosa correlação clínico-patológica. O tratamento visa à restauração da função renal, que se associa ao retardo da progressão e, eventualmente, remissão das alterações cutâneas. A prevenção da ocorrência e redução da incidência baseiam-se na limitação do uso de contrastes à base de gadolínio em nefropatas (especialmente na insuficiência renal avançada em estágios 4 e 5), restringindo-os às condições nas quais seja imprescindível ao diagnóstico/acompanhamento. À exceção da restrição de exposição aos agentes de contraste a base de gadolínio, não há métodos preventivos efetivos relatados. Devido à ampla divulgação da doença entre radiologistas e nefrologistas, a incidência da fibrose nefrogênica sistêmica está em declínio.

Dermopatia fibrosante nefrogênica; Gadolínio; Imagem por ressonância magnética; Insuficiência renal; Meios de contraste


Sociedade Brasileira de Dermatologia Av. Rio Branco, 39 18. and., 20090-003 Rio de Janeiro RJ, Tel./Fax: +55 21 2253-6747 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: revista@sbd.org.br