Efeitos adversos das drogas (minociclina, ofloxacina e clofazimina) utilizadas no esquema alternativo para pacientes com hanseníase multibacilar, em unidade de referência, Manaus, Amazonas, Brasil

Marina Valente Maia Maria da Graça Souza Cunha Carolina Souza Cunha Sobre os autores

FUNDAMENTOS:

Após introdução do esquema poliquimioterápico padrão, houve declínio nos coeficientes de prevalência e detecção de casos novos; entretanto, os registros de resistência medicamentosa e recidivas representam ameaça para o controle da hanseníase. Dessa forma, a proposição de novos esquemas alternativos e a necessidade de monitorar efeitos adversos são importantes para evitar o abandono do tratamento.

OBJETIVO:

Descrever efeitos adversos do esquema alternativo contendo clofazimina, ofloxacina e minociclina em pacientes com hanseníase multibacilar.

MÉTODOS:

Estudo prospectivo, descritivo e observacional de casos multibacilares, incluindo recidivas ou intolerância à poliquimioterapia padrão, realizado na Fundação Alfredo da Matta, Manaus, Amazonas, de abril de 2010 a janeiro de 2012. Os indivíduos receberam a terapia composta de doses diárias auto-administradas de 100mg de minociclina, 400mg de ofloxacina e 50mg de clofazimina e mensais supervisionadas de 300mg de clofazimina por seis meses, seguidas de 18 meses de doses diárias de ofloxacina 400mg, clofazimina 50 mg e supervisionadas mensais de clofazimina 300mg. Resultados: 21 pacientes foram incluídos. Efeitos adversos leves e transitórios foram observados em 33,3% dos pacientes; 45,9% foram atribuídos à ofloxacina, como dor abdominal, náuseas, vômitos, cefaléia e insônia; 21,6% foram associados à clofazimina, com relatos e observação em 100% dos pacientes de hiperpigmentação cutânea. O tempo médio de desenvolvimento das reações adversas a partir do início do esquema foi de 15,2 dias.

CONCLUSÃO:

A adesão e regularidade ao esquema foram satisfatórias, com boa tolerabilidade, sem casos de interrupção ao tratamento. Todavia, há necessidade de acompanhamento dos indivíduos e aumento do número amostral para garantir a eficácia e segurança em longo prazo.

Hanseníase; Nível de efeito adverso não observado; Quimioterapia combinada; Sistemas de notificação de reações adversas a medicamentos


Sociedade Brasileira de Dermatologia Av. Rio Branco, 39 18. and., 20090-003 Rio de Janeiro RJ, Tel./Fax: +55 21 2253-6747 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: revista@sbd.org.br