Implante bem-sucedido de paratireoide criopreservada por 3 anos: relato de caso

Ana K. N. Leite Climério P. do N. Junior Sérgio S. Arap Ledo Massoni Delmar M. Lourenço Lenine Garcia Brandão Fábio L. de M. Montenegro Sobre os autores

O implante de tecido paratireoideano criopreservado após paratireoidectomia total é um procedimento bem estabelecido e, embora tenha sua eficácia comprovada, as taxas de sucesso variam de 10% a 83% na literatura. O tempo de criopreservação é um dos diversos fatores relacionados ao sucesso do implante. Alguns autores defendem que o tecido permanece viável até 24 meses de criopreservação, no entanto, não há consenso. Homem de 63 anos diagnosticado com neoplasia endócrina múltipla tipo I e hiperparatireoidismo primário foi submetido a paratireoidectomia total e autoimplante em membro superior. O implante falhou e o paciente desenvolveu hipoparatireoidismo. Após 36 meses da paratireoidectomia total, foi realizado o implante de paratireoide criopreservada, com sucesso. O hipoparatireoidismo foi revertido e o paciente permanece sem suplementação de cálcio e PTH sistêmico de 36 pg/mL e cálcio total de 9,1 mg/dL. O caso apresentado mostra que o tecido paratireoideano criopreservado pode permanecer viável após 24 meses e há possibilidade de reverter o hipoparatireoidismo pós-cirúrgico. Isso traz evidência de que o tempo limite de criopreservação permanece incerto e que novas pesquisas seriam de grande valia. Arq Bras Endocrinol Metab. 2014;58(3):313-6


Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia Rua Botucatu, 572 - conjunto 83, 04023-062 São Paulo, SP, Tel./Fax: (011) 5575-0311 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: abem-editoria@endocrino.org.br