Prevalência de Doenças da Tireóide em Uma Comunidade do Nordeste Brasileiro

Prevalence of Thyroid Diseases in a Northeast Brazilian Community

Alana A.N. Pontes Luís F. Adan Ana Débora M. Costa Ana Valéria L. Benício Carla R.A. Silva Raquel M. Morais Verônica C. Pedrosa Sobre os autores

Foram estudadas a prevalência de tireopatias e as características clínico-laboratoriais de 210 habitantes do município de Cabaceiras, Paraíba, classificados em: 1) grupo de estudo (n=122), pacientes da área rural, com queixas e/ou quadro clínico de doença tireoideana; 2) grupo exploratório (n=88), voluntários da área urbana, sem queixas. A investigação constou de exame clínico, dosagens hormonais (TSH, T3, T4 livre), pesquisa de anticorpo anti-microssomal (AAM) e ultra-sonografia da tireóide. Na população estudada, 79% (n=166) era do gênero feminino e com média de idade de 31,3±20,1 anos (3-85). No grupo 1, as prevalências de hipotireoidismo (12,3%) e hipertireoidismo (7,3%) foram similares às encontradas no grupo 2 (15,9% e 4,5%, respectivamente). A positividade isolada do AAM foi detectada em 20% (43/210); desses, 26 eram da área urbana. 42% dos pacientes da área rural apresentaram alterações tireoideanas à USG, com predomínio de bócio difuso atóxico (30,7%). Em conclusão, a prevalência de portadores de tireopatias no município é alta, mesmo entre voluntários sem queixas. Diversos fatores de origem genética e/ou ambiental podem estar envolvidos, justificando a realização de estudos futuros, inclusive aqueles associados à iodúria.

Tireóide; Bócio; Prevalência; Ultra-sonografia; Anticorpos anti-tireiodeanos


Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia Rua Botucatu, 572 - conjunto 83, 04023-062 São Paulo, SP, Tel./Fax: (011) 5575-0311 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: abem-editoria@endocrino.org.br