Síndrome de Cushing: resultado da cura

A síndrome de Cushing (SC) é uma desordem sistêmica crônica causada por hipercortisolismo endógeno ou exógeno, associada a um aumento da taxa de mortalidade devido às conseqüências clínicas do excesso de glicocorticóides, especialmente a doença cardiovascular. Após a cura, usualmente obtida pela remoção cirúrgica do tumor responsável pela desordem, a normalização da secreção de cortisol não é sistematicamente seguida da recuperação das complicações clínicas desenvolvidas durante a fase ativa da doença, e é freqüentemente seguida pelo surgimento de novas manifestações clínicas induzidas pela queda dos níveis de cortisol. Estas evidências foram, na sua maioria, documentadas em pacientes com SC de origem hipofisária, após a ressecção cirúrgica do tumor na hipófise. Na verdade, a despeito de uma melhoria na taxa de mortalidade, a síndrome metabólica e seu conseqüente risco cardiovascular têm se mostrado parcialmente persistentes após a remissão da doença, em estrita relação com a resistência à insulina. Anormalidades esqueléticas, especialmente a osteoporose, melhoram após a normalização dos níveis de cortisol, mas requerem um longo tempo ou o uso de tratamento específico, principalmente bisfosfonatos, para se obter a normalização da massa óssea. Uma melhora significativa ou mesmo resolução dos distúrbios mentais têm sido descritos em pacientes curados da SC, embora em vários casos o declínio cognitivo persista e a melhora psicológica ou psiquiátrica tenham sido erráticas, demoradas ou incompletas. Por outro lado, o desenvolvimento ou exacerbação de processos autoimunes, em especial as doenças autoimunes da tiróide, foram documentadas em pacientes predispostos com SC, após a remissão da doença. A totalidade dessas complicações, persistentes ou ocorrendo após o tratamento bem sucedido, contribuem para um prejuízo da qualidade de vida registrado em pacientes com SC após a cura da doença.

Síndrome de Cushing; Doença de Cushing; Hipercortisolismo; Cura; Remissão; Síndrome metabólica; Hipertensão; Risco cardiovascular; Osteoporose; Hipófise; Adrenal; ACTH; Cortisol; Excesso de glucocorticóide


Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia Rua Botucatu, 572 - conjunto 83, 04023-062 São Paulo, SP, Tel./Fax: (011) 5575-0311 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: abem-editoria@endocrino.org.br