Suscetibilidade ao diabetes tipo 1 determinada por alelos de HLA e polimorfismos nos genes CTLA-4 e insulina em brasileiros

INTRODUÇÃO: O diabetes melito tipo 1 (T1ADM) é uma doença multifatorial em que os aspectos genéticos e ambientais são importantes para o seu desenvolvimento. A associação das variações genéticas com a doença tem sido demonstrada em vários trabalhos, no entanto, o papel de alguns locos gênicos não foi ainda completamente elucidado. OBJETIVOS: Comparar a frequência de alelos do HLA e polimorfismos nos genes CTLA-4 e insulina em brasileiros com T1ADM e indivíduos sem a doença, além de identificar marcadores gênicos que sejam capazes de discriminar indivíduos diabéticos e não diabéticos. MÉTODOS: A presença dos alelos de HLA DQB1, DQA1 e DRB1, bem como dos polimorfismos -2221 MspI no gene da insulina e 49 A/G no gene CTLA-4, foram identificados por meio da técnica Time-resolved fluorometer, após hibridização com sondas marcadas com Eu (III)/Sm (III) e Tb (III). RESULTADOS: Os alelos DQB1*0302 e DQA1*03 foram identificados como sendo de predisposição ao T1ADM, e o alelo DQB1*0301 mostrou um efeito protetor à doença. Analisando somente o marcador DQA1, este mostrou ser capaz de diferenciar 71,13% dos indivíduos entre diabéticos e não diabéticos, cujo valor aumentou para 82,47% quando adicionado o marcador DQB1. A frequência dos polimorfismos nos genes da insulina e CTLA-4 não mostrou diferença significativa entre os dois grupos estudados. CONCLUSÕES: Os marcadores genéticos que melhor caracterizaram e discriminaram diabéticos e não diabéticos foram os alelos de HLA DQA1 e DQB1.

T1ADM; HLA; CTLA-4; gene da insulina; análise fatorial discriminante


Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia Rua Botucatu, 572 - conjunto 83, 04023-062 São Paulo, SP, Tel./Fax: (011) 5575-0311 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: abem-editoria@endocrino.org.br