Clomifeno não reverte o hipogonadismo na maioria dos homens com adenomas pituitários não funcionais tratados de forma convencional

OBJETIVO: Avaliar o efeito do clomifeno em homens com hipogonadismo e adenoma hipofisário não funcionante (NFPA) previamente tratados. PACIENTES E MÉTODOS: Aberto, braço único, prospectivo. Nove homens hipogonádicos (testosterona < 300 ng/dL e LH normal/baixo) com NFPA previamente tratados. Clomifeno (50 mg/dia oral) por 12 semanas. Testosterona, estradiol, LH, FSH, prolactina e função erétil foram avaliados antes e após 10 dias, 4, 8 e 12 semanas de clomifeno. RESULTADOS: Após clomifeno, a testosterona e a função erétil melhoraram em um paciente. Em outros oito pacientes, os níveis de testosterona reduziram enquanto os níveis de LH, FSH, e estradiol permaneceram inalterados. A sensibilidade à insulina aumentou nos não respondedores. CONCLUSÕES: Em contraste com homens hipogonádicos com prolactinomas tratados com agonistas dopaminérgicos, a maioria dos hipogonádicos com NFPA falha em restaurar os níveis de testosterona durante o uso de clomifeno.

Adenoma hipofisário não funcionante; hipogonadismo hipogonadotrófico; clomifeno; testosterona


Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia Rua Botucatu, 572 - conjunto 83, 04023-062 São Paulo, SP, Tel./Fax: (011) 5575-0311 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: abem-editoria@endocrino.org.br