Ausência de efeito da sibutramina na ansiedade espontânea em ratos

INTRODUÇÃO: A sibutramina tem sido descrita como um fármaco recomendado para o tratamento da obesidade, uma vez que tem a capacidade de inibir a recaptação de serotonina e noradrenalina no sistema nervoso central, aumentando assim o gasto energético. OBJETIVO: Investigar os efeitos ansiogênico e ansiolítico dos tratamentos agudo e crônico com a sibutramina em ratos Wistar submetidos à tarefa do labirinto em cruz elevado. MÉTODOS: O diazepam foi usado como controle positivo para o efeito ansiolítico, e a tarefa do labirinto em cruz elevado apresentou sensibilidade para detectar o efeito. No tratamento crônico, a sibutramina foi ingerida por um período de dois meses. RESULTADOS: Os tratamentos agudo e crônico, na dose estudada, que é descrita para produzir um efeito de antiobesidade máxima em ratos, não interferem na ansiedade. CONCLUSÕES: As administrações aguda e crônica de sibutramina não estão relacionadas aos efeitos ansiolítico ou ansiogênico.

Ansiedade; labirinto em cruz elevado; obesidade; sibutramina


Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia Rua Botucatu, 572 - conjunto 83, 04023-062 São Paulo, SP, Tel./Fax: (011) 5575-0311 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: abem-editoria@endocrino.org.br