Aspectos étnicos da deficiência de vitamina D

Aline Correia Maria do Socorro Azevedo Fernando Gondim Francisco Bandeira Sobre os autores

A deficiência de vitamina D tem sido associada à fragilidade óssea em crianças e adultos e ao aumento do risco de doenças crônicas. As principais fontes de vitamina D são a dieta e a síntese cutânea, sendo esta última a mais importante, uma vez que os alimentos são relativamente pobres em vitamina D. Os principais fatores que influenciam essa produção endógena são as estações do ano, a hora do dia, a latitude e o fototipo de pele. Devido à contribuição da exposição solar em manter os níveis de vitamina D, seria de esperar que essa deficiência fosse mais prevalente nos países com alta latitude; no entanto, a hipovitaminose D é comumente encontrada em regiões tropicais como o Brasil. Em regiões de alta latitude em que os extremos de fototipos de pele foram comparados à prevalência de deficiência de vitamina D, é mais comum em pessoas com pele originalmente mais escura que têm uma barreira natural à já baixa penetração da irradiação UV na pele. No Brasil, particularmente nas áreas mais ensolaradas, a diferença de exposição solar entre os indivíduos não mostrou variação significativa nos níveis séricos de 25-hidroxivitamina D (25OHD).

Deficiência de vitamina D; índice solar; fototipo de pele; 25OHD


Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia Rua Botucatu, 572 - conjunto 83, 04023-062 São Paulo, SP, Tel./Fax: (011) 5575-0311 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: abem-editoria@endocrino.org.br