Desenvolvimento físico, sexual e fisiologia reprodutiva da prole feminina de ratas diabéticas

OBJETIVOS: O objetivo deste estudo foi avaliar o desenvolvimento físico e sexual e a fisiologia reprodutiva de ratas que se desenvolveram em condições hiperglicêmicas in utero e lactação. MATERIAIS E METODOS: Para induzir o diabetes nas ratas, foi utilizada estreptozotocina em dose única via intravenosa antes do acasalamento. A prole feminina foi avaliada por meio dos seguintes parâmetros: o desenvolvimento físico; a idade de abertura vaginal e do primeiro estro, peso e avaliação histológica do útero e ovários; a duração do ciclo estral, o comportamento sexual e a fertilidade após acasalamentos naturais. RESULTADOS: O diabetes materno provocou, na prole feminina, retardo no desenvolvimento físico; diminuição do peso dos ovários e do número de folículos; a performance reprodutiva foi inferior à do grupo controle. CONCLUSÕES: Concluiu-se que a exposição aos meios intrauterino e lactacional hiperglicêmicos provocou retardo no desenvolvimento físico e sexual e prejudicou a fisiologia reprodutiva de ratas.

Comportamento sexual; desenvolvimento físico; diabetes; fisiologia reprodutiva feminina; rata; estreptozotocina


Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia Rua Botucatu, 572 - conjunto 83, 04023-062 São Paulo, SP, Tel./Fax: (011) 5575-0311 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: abem-editoria@endocrino.org.br