Carcinoma de tireoide hiperfuncionante: seguimento de cinco anos

O câncer diferenciado de tireoide raramente ocorre em associação a nódulos hiperfuncionantes. Foi descrito aqui o caso de uma paciente de 47 anos de idade que desenvolveu sintomas de hipertireoidismo associados a um nódulo tireoidiano palpável. A cintilografia da tireoide mostrou tratar-se de um nódulo autônomo, e a biópsia por punção aspirativa por agulha fina foi sugestiva de carcinoma papilar. Os achados laboratoriais foram consistentes com o diagnóstico de hipertireoidismo. A paciente foi submetida à tireoidectomia e um carcinoma papilar de 3,0 x 3,0 x 2,0 cm, variante folicular, foi descrito por exame histopatológico. O tecido tireoidiano circunjacente era normal. No pós-operatório a paciente recebeu 100 mCi de 131I, e a cintilografia de corpo inteiro mostrou apenas captação residual. Nenhuma metástase foi identificada ao longo de cinco anos de acompanhamento. Nódulos quentes raramente albergam doença maligna, e este caso demonstrou que, quando ocorre carcinoma, o prognóstico parece ser muito bom, sem evidência de disseminação metastática em longo prazo.


Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia Rua Botucatu, 572 - conjunto 83, 04023-062 São Paulo, SP, Tel./Fax: (011) 5575-0311 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: abem-editoria@endocrino.org.br