O papel dos métodos de imagem em hiperplasia congênita de suprarrenal

Sara Reis Teixeira Paula Condé Lamparelli Elias Marco Túlio Soares Andrade Andrea Farias Melo Jorge Elias JuniorSobre os autores

Hiperplasia congênita de suprarrenal (CAH) é uma doença autossômica recessiva causada por deficiências enzimáticas na esteroidogênese. Clinicamente, os pacientes com CAH podem apresentar insuficiência adrenal com ou sem perda de sal, vários graus de virilização e diminuição na fertilidade, alta incidência de restos adrenais testiculares e de tumores adrenais. O diagnóstico de CAH é feito baseado nos resultados da avaliação hormonal e genotípica, em casos selecionados. O seguimento dos pacientes é principalmente feito com avaliação clínica e hormonal. Métodos de diagnóstico por imagem podem ser muito úteis não só no diagnóstico como no manejo e seguimento dos pacientes com CAH. Porém, as recomendações, de acordo com a maioria dos consensos, quando existem, são escassas. Nesse contexto, com base em uma revisão sistemática, o objetivo deste artigo foi sintetizar a literatura em relação a como os métodos de diagnóstico por imagem podem ser úteis no manejo dos pacientes com CAH, com foco em genitografia, ultrassonografia, tomografia computadorizada e ressonância magnética.

Hiperplasia adrenal congênita; ressonância magnética; tomografia computadorizada; ultrassonografia; diagnóstico por imagem


Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia Rua Botucatu, 572 - conjunto 83, 04023-062 São Paulo, SP, Tel./Fax: (011) 5575-0311 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: abem-editoria@endocrino.org.br