Avaliação da homocisteína plasmática de acordo com o polimorfismo C677T e A1298C da enzima MTHRF em adultos diabéticos tipo 2

OBJETIVO: Determinar os níveis plasmáticos de homocisteína de jejum e após sobrecarga de metionina e correlacionar a homocisteinemia com o polimorfismo C677T e A1298C da metilenotetra-hidrofolato redutase (MTHFR) em diabéticos tipo 2. SUJEITOS E MÉTODOS: O estudo incluiu 50 adultos diabéticos tipo 2 (Grupo DM) e 52 indivíduos saudáveis (Grupo controle). Obtiveram-se os dados antropométricos, de ingestão alimentar, níveis séricos de vitamina B12, ácido fólico e homocisteína plasmática. Os polimorfismos C677T e A1298C foram identificados no gene da enzima MTHFR. RESULTADOS: Não houve diferença na homocisteinemia entre os grupos, embora a hiper-homocisteinemia de jejum tenha ocorrido em 40% dos diabéticos e 23% dos controles. Para o mesmo polimorfismo, não houve diferenças na homocisteinemia entre os grupos de estudo. Nos controles, a homocisteína foi maior entre aqueles com polimorfismos C677T e A1298C. Os diabéticos com polimorfismo A1298C apresentaram menores níveis de homocisteína quando comparados àqueles com polimorfismo C677T. CONCLUSÃO: Os polimorfismos da MTHFR (C677T e A1298C) resultaram em resposta distinta na homocisteinemia entre os indivíduos dentro de cada grupo (diabéticos e controles). Os dados sugerem que fatores metabólicos inerentes ao estado diabético influenciam o metabolismo da homocisteína.

Diabetes; homocisteína; metilenotetra-hidrofolato redutase; polimorfismo


Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia Rua Botucatu, 572 - conjunto 83, 04023-062 São Paulo, SP, Tel./Fax: (011) 5575-0311 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: abem-editoria@endocrino.org.br