Reatividade microvascular em diabéticos tipo 1

OBJETIVO: Avaliar se há diferença de resposta microcirculatória à isquemia induzida pela videocapilaroscopia dinâmica (VCD), por meio da análise de medida da área do segmento transverso capilar (ASTC) em pacientes com diabetes melito tipo 1 (DMT1). MÉTODOS: A reatividade vascular do ASTC foi estudada pela VCD usando o teste de hiperemia reativa em 61 voluntários, sendo 31 controles sadios sem história familiar de diabetes (Grupo 1) e 30 pacientes com DMT1, sem complicações (Grupo 2). As imagens foram capturadas a cada dois segundos, durante a reperfusão após um minuto de isquemia induzida, e analisadas pelo programa Studio Version 8 e Motic Image Plus. O segmento transverso pré-isquemia (área basal, AB), a área máxima pós-isquemia (área máxima, AM) e o tempo para alcançá-la foram medidos durante a reperfusão, e o percentual de incremento foi estimado. RESULTADOS: As principais diferenças entre os grupos foram avaliadas pelo teste t. As médias comparativas entre os grupos foram avaliadas pelo teste Mann-Whitney. Não houve diferença na área basal entre os dois grupos. O percentual de incremento foi significativamente menor entre os pacientes diabéticos e houve um aumento significativo no ASTC entre os pacientes do Grupo 2 quando comparados com o Grupo 1. CONCLUSÕES: Os dados sugerem que o diabetes tipo 1 provoca disfunção endotelial precoce, antes mesmo de complicações degenerativas serem detectadas clinicamente. Os fatores que levam a essas alterações necessitam de estudos adicionais.

Diabetes melito; microcirculação; angioscopia microscópica; endotélio-anormalidades


Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia Rua Botucatu, 572 - conjunto 83, 04023-062 São Paulo, SP, Tel./Fax: (011) 5575-0311 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: abem-editoria@endocrino.org.br