Telarca precoce: avaliação clínica e laboratorial pelo método imunoquimioluminescente

Com o objetivo de estabelecer o valor de corte e distinguir telarca precoce isolada (TPI) de puberdade precoce (PP), avaliamos 79 meninas com telarca precoce, comparando as dosagens basais e pós-estímulo de LH e FSH com grupo-controle. O teste de estímulo com GnRH foi realizado em 10 meninas normais e em 42 com telarca precoce. Os testes de Kruskal-Wallis and Dunn foram usados na comparação dos grupos. Os níveis de LH foram significativamente mais elevados no grupo com TPI, quando comparados com controles. As gonadotrofinas basais foram mais elevadas naquelas com PP que nos controles, mas não diferiram do grupo com TPI. O pico de LH após GnRH distinguiu estes dois grupos, com valor de corte de 4,0 UI/L, apesar de pequena sobreposição. Concluímos que uma menina com telarca precoce e LH pós-estímulo acima de 4,5 UI/L apresenta PP, mas valores entre 3,5 e 4,5 UI/L requerem seguimento cuidadoso.

Telarca precoce; Teste de estímulo do GnRH; Avaliação laboratorial; Ensaio imunoquimioluminescente


Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia Rua Botucatu, 572 - conjunto 83, 04023-062 São Paulo, SP, Tel./Fax: (011) 5575-0311 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: abem-editoria@endocrino.org.br