Gravidez espontânea em uma paciente apresentando uma combinação de falência ovariana e disfunção tireoidiana

A falência ovariana prematura tem uma prevalência global variando de 0,3% a 0,9% na população em geral. Nos casos em que existe preocupação com a fertilidade, o tratamento geralmente consiste de terapia de reposição hormonal com estrógeno e doação de oócitos. A gravidez espontânea em mulheres afetadas não é comum. Relatamos um caso de uma mulher de 34 anos de idade que apresentou falência ovariana prematura e hipotireoidismo primário e concebeu espontaneamente onze anos após o desenvolvimento da falência ovariana prematura e da correção do hipotireoidismo.


Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia Rua Botucatu, 572 - conjunto 83, 04023-062 São Paulo, SP, Tel./Fax: (011) 5575-0311 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: abem-editoria@endocrino.org.br