Níveis indetectáveis de tireoglobulina pré-ablação em pacientes com câncer de tireoide: nem sempre é o que parece

OBJETIVO: Estabelecer a frequência de U Tg (tireoglobulina indetectável pré-ablação) em pacientes com TgAb negativo e avaliar o prognóstico no seguimento. SUJEITOS E MÉTODOS: Foram analisados retrospectivamente 335 registros de pacientes. Vinte e oito pacientes (9%) tiveram U Tg. O acompanhamento médio foi de 42 ± 38 meses. Todos os participantes receberam uma tireoidectomia total, e os linfonodos foram positivos em 13 (46%) pacientes. Tg e TgAb foram medidos quatro semanas após a cirurgia pelo método IMA em estado de hipotireoidismo. A não evidência de doença (NED) foi definida como níveis indetectáveis (<1 ng/mL) de Tg estimulada com anticorpos anti-Tg negativos e/ou PCI negativo, com estudos de imagem normais. RESULTADOS: Dezessete pacientes (61%) foram considerados com NED. Quatro pacientes (14%) tiveram doença persistente (mediastino, n = 1, pulmão n = 2, n = desconhecido 1), e 7 (25%) apresentavam anticorpos anti-Tg detectáveis por outro método durante acompanhamento. CONCLUSÕES: U Tg geralmente indica uma cirurgia completa. No entanto, em uma pequena porcentagem de pacientes, pode estar relacionada com uma medida de Tg ou de anticorpos anti-Tg falsamente negativos.

Níveis de tiroglobulina indetectáveis; tireoglobulina; câncer; tiroide


Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia Rua Botucatu, 572 - conjunto 83, 04023-062 São Paulo, SP, Tel./Fax: (011) 5575-0311 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: abem-editoria@endocrino.org.br