Uso específico de ISCI durante a nutrição enteral noturna em criança com diabetes tipo 1, tireoidite de Hashimoto e síndrome de Down

O manejo da terapia com insulina em pacientes diabéticos que têm comorbidades que envolvam aspectos nutricionais é um grande desafio para os especialistas em diabetes. Em pacientes diabéticos com estado nutricional comprometido, a nutrição artificial, tanto enteral quanto parenteral, pode ajudar no tratamento de doenças crônicas e agudas, levando à recuperação melhor e mais rápida do estado de saúde. Entretanto, se não adequadamente associada à terapia com insulina, a nutrição artificial pode afetar negativamente os níveis de glucose e levar a um pior controle glicêmico. Particularmente, não há recomendações baseadas em evidências para o tratamento de pacientes diabéticos durante a terapia nutricional enteral e, portanto, as práticas médicas são geralmente baseadas em relatos de caso, em vez de desfechos de estudos. Relatamos nossa experiência com uma paciente diabética que recebeu nutrição enteral noturna em função de comorbidades e desnutrição, acompanhada no nosso centro e tratada precocemente com infusão subcutânea contínua de insulina depois do estabelecimento do diabetes tipo 1. Existe grande necessidade de estudos randomizados controlados para se obter evidências científicas sobre o tratamento insulínico de pacientes diabéticos que sejam submetidos à nutrição enteral


Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia Rua Botucatu, 572 - conjunto 83, 04023-062 São Paulo, SP, Tel./Fax: (011) 5575-0311 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: abem-editoria@endocrino.org.br