Evolução dos ensaios para paratormônio

José Gilberto H. Vieira Ilda Kunii Sônia Nishida Sobre os autores

O metabolismo do PTH e complexo e as formas circulantes incluem o PTH 1-84, assim como fragmentos C-terminal. A primeira geração de ensaios para o PTH incluía vários ensaios competitivos com especificidades para as regiões carboxi, meio da molécula e amino-terminal. A limitação destes ensaios e a evolução metodológica, levaram ao desenvolvimento dos ensaios não competitivos de 2ª. geração no final dos anos 80, baseados no reconhecimento por dois anticorpos diferentes, contra a porção amino e carboxi-terminal respectivamente. A observação que em algumas circunstâncias segmentos carboxiterminais longos também eram detectados, levou ao desenvolvimento dos ensaios de 3ª. geração, baseados em anticorpos específicos para a porção aminoterminal com maior especificidade para os primeiros aminoácidos, e assim mensurando apenas a forma molecular que ativa o PTH1R. As vantagens práticas e o custo-benefício deste ensaio ainda e motivo de debate. A observação recente de que fragmentos carboxiterminais têm atividade biológica via receptor distinto, aponta para a necessidade futura de mais de um ensaio para avaliar a função do paratormônio.

Paratormônio; Radioimunoensaio; Ensaio imunométrico; Formas circulantes do paratormônio


Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia Rua Botucatu, 572 - conjunto 83, 04023-062 São Paulo, SP, Tel./Fax: (011) 5575-0311 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: abem-editoria@endocrino.org.br