Tomografia computadorizada quantitativa do fígado de cães submetidos à terapia com prednisona

O objetivo deste estudo é avaliar as possíveis alterações na radiodensidade do parênquima hepático e esplênico decorrentes da corticoterapia com prednisona, correlacionando estes achados com níveis séricos de transaminase bioquímicas hepáticas. Um ensaio clínico foi realizado em oito cães sadios com o objetivo de avaliar possíveis alterações hepáticas após a terapia com prednisona por meio de tomografia computadorizada quantitativa. Todos os animais receberam prednisona por via oral na dose de 2mg / kg de peso por 30 dias. A radiodensidade do fígado e do baço foi determinada antes e após o período em que a medicação foi administrada. Foi observado aumento da radiodensidade do parênquima hepático entre os estágios iniciais e finais do experimento. No presente estudo, foi verificada a existência de alterações hepáticas precoces, que são compatíveis com o acúmulo de glicogênio.

cão; tomografia computadorizada; glicogenose; radiodensidade; glicocorticoide


Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Veterinária Caixa Postal 567, 30123-970 Belo Horizonte MG - Brazil, Tel.: (55 31) 3409-2041, Tel.: (55 31) 3409-2042 - Belo Horizonte - MG - Brazil
E-mail: abmvz.artigo@abmvz.org.br