Crescimento e resposta oxidative de ostras jovens Crassostrea sikamea e Crassostrea corteziensis tratadas com cultura Streptomyces

M. García-Bernal R. Medina-Marrero Á.I. Campa-Córdova J.M. Mazón-Suástegui Sobre os autores

RESUMO

O efeito de três culturas Streptomyces (N7, RL8 e V4) e uma mistura de Bacillus (BMix) sobre o cresimento (Peso, Tamanho) e atividade superóxido dismutase (SOD) em ostras jovens Crassostrea corteziensis e Crassostrea sikamea cultivadas artificalmente foi investigado para determinar seu potencial probiótico. Microorganismos foram adicionados à água de cultura a 1×10 6 CFU/ml uma vez por dia durante 30 dias e todas as ostras foram alimentadas diariamente com uma mistura de microalgas. Jovens C. sikamea tratados com culturas N7, RL8 e V4 tiveram ganho de peso significativo quando comparado ao grupo de controle. Jovens C. corteziensis tratados com culturas RL8 e BMix demonstraram peso significativamente mais algo que o grupo de controle. Nenhum aumento em tamanho foi observado em grupos tratados em ambas espécies. A atividade SOD foi significamente aumentada em C. sikamea treatado com RL8 e com RL8, N7 e BMix em C. corteziensis. Culturas Streptomyces RL8 e N7 surgem como agentes probióticos promissores para o cultivo de C. sikamea e C. corteziensis e podem ser úteis para outros moluscos animais marinhos invertebrados.

Palavras-chave:
actinomyces; ostra; cresimento; efeito probiótico; atividade SOD

Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Veterinária Caixa Postal 567, 30123-970 Belo Horizonte MG - Brazil, Tel.: (55 31) 3409-2041, Tel.: (55 31) 3409-2042 - Belo Horizonte - MG - Brazil
E-mail: abmvz.artigo@abmvz.org.br