Avaliação da progênie de ovelhas Merino Australiano cruzadas com carneiro Dorper ou Southdown

Evaluation of the progeny of Australian Merino ewes crossed with Dorper or Southdown ram

G. Bianchi S. Carvalho J. Rivero Sobre os autores

O presente estudo objetivou avaliar o efeito do genótipo do carneiro (Dorper ou Southdown), do sexo e do tipo de parto sobre características de crescimento de 268 cordeiros filhos de ovelhas Merino Australiano. Até o desmame, todos os animais permaneceram sobre pastagem de trevo-vermelho (Trifolium pratense ), chicória (Cychorium intibus ), trevo-branco (Trifolium repens ), festuca (Festuca arundinacea ) e azevém (Lolium multiflorum ), com carga animal de 10 ovelhas com seus cordeiros/ha. A partir do desmame (29,95±4,94kg de peso vivo e 109,45±7,41 dias de idade), os cordeiros permaneceram sobre a mesma pastagem utilizada durante a lactação, sendo terminados posteriormente sobre um cultivo de soja (Glycine max) , com carga animal de 30 cordeiros/ha. Não foi verificado efeito do genótipo do carneiro (P>0,05) sobre nenhuma das variáveis analisadas. Por outro lado, do nascimento ao desmame e do desmame até o embarque dos cordeiros para abate, os machos (criptorquidas) apresentaram ganhos de peso diário superiores (241 e 212g/dia; 121 e 94g/dia, para machos e fêmeas, respectivamente; P≤0,001), o que proporcionou um peso vivo ao embarque 14,9% superior em relação às fêmeas (40,89 e 35,59kg, para machos e fêmeas, respectivamente; P≤0,001). Os cordeiros de parto simples apresentaram maiores (P≤0,001) pesos vivos e medidas corporais ao nascimento, bem como maior velocidade de crescimento até o desmame (239 e 214g/dia, parto simples e duplo, respectivamente; P≤0,001). Porém, após o desmame, os cordeiros de parto duplo apresentaram maior ganho de peso (98 e 117g/dia) (P≤0,05) e uma superioridade (P≤0,001) em quilogramas de cordeiros desmamados (26,80 e 49,61kg) ou embarcados (33,91 e 64,69kg) por ovelha parida. Independentemente do sexo e do tipo de parto, todos os cordeiros superaram as exigências de peso e condição corporal mínima requerida para comercialização de cordeiros pesados no Uruguai, na metade do tempo que em média ocorre com os genótipos tradicionais.

cordeiros pesados; cruzamento; gêmeos; produção de carne


Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Veterinária Caixa Postal 567, 30123-970 Belo Horizonte MG - Brazil, Tel.: (55 31) 3409-2041, Tel.: (55 31) 3409-2042 - Belo Horizonte - MG - Brazil
E-mail: abmvz.artigo@abmvz.org.br