Estudo das agressões por cães, segundo tipo de interação entre cão e vítima, e das circunstâncias motivadoras dos acidentes, município de São Paulo, 2008 a 2009

Study of aggression by dogs, according to the kind of interaction between dog and victim and motivating circumstances in the accidents, Municipality of São Paulo, 2008 to 2009

N.T. Paranhos E.A. Silva F. Bernardi M.C.N.C. Mendes D.M.A.G. Junqueira I.O.M. Souza J.O.M. Albuquerque J.C.M. Alves M.N.P. Machado Sobre os autores

Caracterizaram-se as agressões por cães, o perfil das vítimas e dos agressores e as circunstâncias desses acidentes. Calculou-se a amostra aleatória a partir de 20 mil notificações/ano de agressões por cães e realizaram-se 594 entrevistas telefônicas. A maior frequência de agressões ocorreu no sexo masculino, faixa etária de cinco a 14 anos. Lesões leves representaram 80,4%. As profundas (19,1%) ocorreram por cães de porte médio seguidas pelos de grande porte. A maioria dos cães era macho adulto, porte médio. Dos entrevistados, 52,5% desconheciam a condição reprodutiva; 41,0% dos cães não eram esterilizados e 6,4% eram esterilizados. Cães sem raça definida (SRD) provocaram 48,4% dos acidentes, e 57,6% das agressões ocorreram em locais privados. Em 56,2% das agressões, as vítimas eram moradoras do imóvel ou pessoas conhecidas. Com animais não conhecidos a agressão mais frequente ocorreu na rua, 30,8%, e 67,5% dos donos permaneceram com os animais. As agressões foram resultantes da interação homem-cão e devem ser estudadas para se identificarem os possíveis comportamentos que desencadeiam a agressão pelo animal.

cão; agressão canina; vigilância; causas; interação homem-cão; saúde pública


Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Veterinária Caixa Postal 567, 30123-970 Belo Horizonte MG - Brazil, Tel.: (55 31) 3409-2041, Tel.: (55 31) 3409-2042 - Belo Horizonte - MG - Brazil
E-mail: abmvz.artigo@abmvz.org.br