Aspectos clínicos e histopatológicos da miocardite em cães com leishmaniose visceral

F.P. dos Santos J.P.E. Pascon D.T.P. Pereira B.L. Anjos M.L.A. Mistieri I.D. Silveira M.L. Porciuncula Sobre os autores

RESUMO

A leishmaniose visceral (LV) é uma zoonose parasitária cosmopolita capaz de promover miocardite e alterações no ritmo cardíaco em cães e seres humanos. Dessa forma, os aspectos clínicos, hematimétricos, bioquímicos, radiográficos, eletrocardiográficos e histopatológicos do miocárdio foram avaliados em 36 cães naturalmente infectados com LV (GLV) e comparados a 15 cães não infectados (GC). Houve predomínio de cães assintomáticos no GC (100%) e polissintomáticos no GLV (66%). Dois cães do GLV apresentaram sopro sistólico de intensidade II/VI e III/VI, em região de foco mitral. Os valores médios de hemácia, hemoglobina e hematócrito foram inferiores nos cães do GLV, associados a maiores valores de proteína total, leucócitos totais, neutrófilos, creatinina quinase total (CK) e fração MB (CK-MB). Ausência de alterações radiográficas foi acompanhada de predomínio de arritmia sinusal respiratória associada a episódios de marcapasso migratório e sinus arrest nos cães do GLV (75%), ritmo sinusal nos cães do GC (60%) e diminuição da amplitude da onda P no GLV à eletrocardiografia. Infiltrado inflamatório mononuclear foi detectado no miocárdio de 77,8% dos cães do GLV, classificados, em sua maioria, como linfoistioplasmocitário multifocal leve. A forma amastigota foi detectada em apenas um cão, não permitindo a associação entre a miocardite e a parasitose, ainda que as lesões miocárdicas encontradas constituam prova irrefutável da miocardite nos cães do GLV, acompanhadas por alterações eletrocardiográficas brandas em comparação ao GC.

eletrocardiografia; Leishmania sp.; leishmaniose visceral; caninos

Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Veterinária Caixa Postal 567, 30123-970 Belo Horizonte MG - Brazil, Tel.: (55 31) 3409-2041, Tel.: (55 31) 3409-2042 - Belo Horizonte - MG - Brazil
E-mail: abmvz.artigo@abmvz.org.br