Detecção molecular e relação filogenética de cepas selvagens do vírus da cinomose canina em cães sintomáticos oriundos de Uberlândia, Minas Gerais

S.A. Headley T.R. Santos L. Bodnar J.P.E. Saut A.P. Silva A.F. Alfieri A.A. Medeiros N.P. Soares A.A. Alfieri Sobre os autores

RESUMO

A presença do ácido nucleico (RNA) do vírus da cinomose canina (CDV) foi avaliada por meio da amplificação parcial do gene N pela técnica RT-PCR realizada em urina de cães provenientes de Uberlândia, Minas Gerais, que apresentavam sinais clínicos sugestivos de cinomose. Das 33 amostras de urina avaliadas, o CDV foi identificado em 45,5%. Em cinco cães que morreram espontaneamente, além da excreção do CDV na urina, foram observadas alterações histopatológicas associadas à infecção por esse vírus. Análises estatísticas demonstraram que a idade, gênero, raça e o sistema orgânico comprometido dos cães avaliados não exerceram influência no diagnóstico da cinomose canina. Mioclonia e incoordenação motora foram as manifestações neurológicas que apresentaram frequência de ocorrência significativa (P<0,05). Uma associação direta foi observada entre a presença de ceratoconjuntivite e a identificação de virúria pelo CDV. Esses achados sugerem que a excreção do CDV pela urina em cães com sinais clínicos compatíveis com cinomose pode não ser relacionada com a idade do animal, e que animais sintomáticos podem apresentar manifestações clínicas atribuídas ao CDV, porém sem a caracterização de virúria por RT-PCR. Adicionalmente, análises filogenéticas sugerem que várias cepas de CDV podem estar circulando em populações caninas de áreas urbanas no Brasil.

cinomose canina; virúria; filogenia; epidemiologia

Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Veterinária Caixa Postal 567, 30123-970 Belo Horizonte MG - Brazil, Tel.: (55 31) 3409-2041, Tel.: (55 31) 3409-2042 - Belo Horizonte - MG - Brazil
E-mail: abmvz.artigo@abmvz.org.br