Accessibility / Report Error

Biometria do equilíbrio podal de equídeos

RESUMO

O objetivo deste trabalho foi determinar o equilíbrio dos cascos de equídeos. Foram utilizados 60 animais, sendo estes: 20 equinos da raça Crioula, 20 muares e 20 asininos da raça Pêga. O peso vivo foi estimado por meio de equações de correlação com o perímetro torácico específico a cada espécie. Utilizando-se paquímetro, fita métrica e podogoniômetro, foram mensurados comprimento e largura da ranilha e do casco, altura e ângulo dos talões medial e lateral, comprimento dorsal e ângulo da pinça e perímetro da banda coronária dos cascos dos membros torácicos e pélvicos. Dentro de cada grupo, observou-se que os cascos dos membros pélvicos exibem-se mais estreitos que os cascos dos membros torácicos, e não houve diferença entre o ângulo das pinças de ambos os grupos de membros. A conformação dos cascos dos asininos mostra-se substancialmente divergente do observado nos equinos, estando os muares numa condição intermediária, sendo aqueles menores, mais angulados e com ranilha robusta e proporcionalmente mais desenvolvida. Da mesma forma, os cascos dos asininos proporcionam maior área de apoio em relação aos muares e equinos, em ordem decrescente, mesmo sendo dimensionalmente menores. Conclui-se que os cascos de equinos, muares e asininos apresentam padrões de equilíbrio geométrico específicos, que devem ser levados em consideração no momento do casqueamento e na inferência de desequilíbrios.

Palavras-chave:
equino; muares; asininos; casco; casqueamento

Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Veterinária Caixa Postal 567, 30123-970 Belo Horizonte MG - Brazil, Tel.: (55 31) 3409-2041, Tel.: (55 31) 3409-2042 - Belo Horizonte - MG - Brazil
E-mail: abmvz.artigo@gmail.com