Alterações cardiovasculares e respiratórias durante a mielografia cervical com ioversol em cães

S.R.A. Melo e Silva E.A. Tudury V.B. Albuquerque F.P. Araújo T.F.B. Souza P. I. Nóbrega Neto M.A. Bonelli Sobre os autores

Os efeitos adversos provocados pela infusão subaracnoidea de meios de contraste e da mielografia cervical podem desencorajar sua aplicação como alternativa para o diagnóstico radiológico de doenças da medula espinhal. Assim, avaliaram-se os efeitos cardiovascular e respiratório dos procedimentos técnicos necessários à mielografia cervical e da infusão subaracnoidea do ioversol - 320mgI/mL - em cães anestesiados com isofluorano. Foi realizada infusão do líquido cefalorraquidiano autólogo mantido a 38°C - grupo-controle (GC); infusão do ioversol 0,3mL/kg a 25°C (GI25); e infusão do ioversol 0,3mL/kg aquecido a 38°C (GI38). Estudaram-se: pressões arteriais sistólica (PAS) e diastólica (PAD), frequências cardíaca (FC) e respiratória (FR), saturação de oxi-hemoglobina (SaO2) e medidas eletrocardiográficas (intervalos PR e QT). Não houve influência significativa do posicionamento, da punção ou da infusão subaracnoidea do ioversol sobre FC, FR, SaO2, ritmo e condução cardíaca, entretanto o isofluorano aumentou significativamente os intervalos PR e QT. Concluiu-se que a mielografia cervical com ioversol 320mgI/mL, nas temperaturas de 25ºC e 38ºC e na dose de 0,3mL/kg, não causa arritmias cardíacas nem alterações cardiovasculares e respiratórias relevantes, exceto elevação da pressão arterial após a injeção do contraste.

canino; mielografia; optiray 320; arritmia cardíaca; pressão arterial


Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Veterinária Caixa Postal 567, 30123-970 Belo Horizonte MG - Brazil, Tel.: (55 31) 3409-2041, Tel.: (55 31) 3409-2042 - Belo Horizonte - MG - Brazil
E-mail: abmvz.artigo@abmvz.org.br
Accessibility / Report Error