Mastite no período de transição: identificação de potenciais marcadores no sangue

K.R. Santos F.N. Souza M.G. Blagitz C.F. Batista H.G. Bertagnon R.C. Gomes P.C.C. Molinari S.A. Diniz M.X. Silva J.P.A. Haddad M.B. Heinemann A.M.M.P.D. Libera Sobre os autores

RESUMO

O presente estudo identificou potenciais marcadores sanguíneos associados tanto à mastite, durante o período de transição em vacas leiteiras submetidas à antimicrobianoterapia, quanto à utilização do selante interno de teto na secagem por modelo de regressão logística. Trinta e quatro vacas da raça Holandesa foram divididas em três grupos experimentais, a saber: 13 animais (42 quartos mamários) que não receberam tratamento na secagem; 10 animais (40 quartos mamários) tratados por via intramamária com uma bisnaga do antimicrobiano para vaca seca à base de cefalônio anidro após a última ordenha em cada quarto mamário; e 11 animais (44 quartos mamários) que receberam, por via intramamária, uma bisnaga de selante à base de subnitrato de bismuto após a última ordenha em cada quarto mamário. As amostras de leite e sangue foram coletadas 60 dias antes da data prevista do parto, na secagem, e no dia do parto e após três, sete, 15 e 21 dias após o parto. As amostras de leite foram utilizadas para o exame microbiológico e a determinação da contagem de células somáticas. As amostras de sangue foram utilizadas para determinação do eritrograma, leucograma, fibrinogênio plasmático, funções hepáticas e renais, perfil metabólico, proteína total e albuminas séricas e concentração sérica de cálcio e fósforo. A concentração total de proteínas séricas foi associada à alta contagem de células somáticas. Similarmente, a concentração total de proteínas séricas e triglicérides foi associada ao isolamento de patógenos causadores de mastite nas amostras de leite durante o período de transição. Desse modo, conclui-se que vacas leiteiras com concentrações séricas maiores de proteína total e triglicérides têm maior chance de apresentar mastite durante o período de transição; em contraste, o uso da antimicrobianoterapia de vaca seca reduz esse risco.

Palavras-chave:
infecção intramamária; fator de risco; secagem; período periparturiente; metabolismo

Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Veterinária Caixa Postal 567, 30123-970 Belo Horizonte MG - Brazil, Tel.: (55 31) 3409-2041, Tel.: (55 31) 3409-2042 - Belo Horizonte - MG - Brazil
E-mail: abmvz.artigo@abmvz.org.br