Exposição intrauterina ao Sarcocystis spp. em equinos

A.M. Antonello G.C. Cadore F.L. Pivoto G. Camillo P. Braunig L.A. Sangioni E. Pompermayer L.F.P. Gondim F.S.F. Vogel Sobre os autores

O objetivo deste estudo foi avaliar a exposição intrauterina ao Sarcocystis spp., para determinar o número de potros que possuem concentrações detectáveis de anticorpos contra esses agentes no soro, antes da ingestão do colostro, por meio da coleta de dados sobre a exposição a esses protozoários nos equinos. Amostras de soro foram coletadas de 195 éguas puro-sangue e seus respectivos potros recém-nascidos, em duas fazendas localizadas na região Sul do Brasil. Os testes utilizados na detecção de anticorpos específicos para o Sarcocystis foram a reação de imunofluorescência indireta (RIFI) e análise por meio de immunoblot. Pela RIFI, em 84,1% (159/189) das éguas e em 7,4% (14/189) dos potros foram detectados anticorpos anti-Sarcocystis spp. Todas as amostras soropositivas dos potros também foram positivas para suas respectivas mães. As amostras de soro dos potros soropositivos na RIFI, não apresentaram reatividade no immunoblot, tendo como antígenos merozoítos de S. neurona. Em conclusão, foi demonstrada a exposição intrauterina de Sarcocystis spp. em equinos, com ocorrência em éguas, porém, em seus respectivos potros, antes da ingestão de colostro a ocorrência foi reduzida.

mieloencefalite protozoária equina; infecção transplacentária; soroprevalência; reação de imunofluorescência indireta; immunoblot


Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Veterinária Caixa Postal 567, 30123-970 Belo Horizonte MG - Brazil, Tel.: (55 31) 3409-2041, Tel.: (55 31) 3409-2042 - Belo Horizonte - MG - Brazil
E-mail: abmvz.artigo@abmvz.org.br