Prevalência de Hepatozoon spp. (Apicomplexa, Hepatozoidae) em serpentes recém-capturadas no Brasil

L.H. O'Dwyer T.C. Moço T.H. Barrella F.C. Vilela R.J. Silva Sobre os autores

O presente estudo teve como objetivo determinar a prevalência da infecção por Hepatozoon spp. em serpentes recém-capturadas da região de Botucatu, São Paulo. O sangue foi coletado de todas as serpentes por punção da veia caudal. Os esfregaços foram secos ao ar, fixados com metanol e corados com solução de Giemsa a 10%. Examinaram-se 238 serpentes pertencentes a 23 espécies, das quais 135 (56,7%) eram venenosas e 103 (43,3%) não venenosas. As espécies venenosas mais representativas foram Crotalus durissus terrificus (n=108) e Bothrops jararaca (n=17) e as não venenosas foram Oxyrhopus guibei (n=35), Boa constrictor amarali (n=18) e Waglerophis merremi (n=13). A infecção por Hepatozoon spp. foi detectada em 39 (16,4%) serpentes. As prevalências em serpentes venenosas e não venenosas foram 20,0% e 11,7%, respectivamente. As maiores prevalências foram 38,9% para Boa constrictor amarali, 35,3% para Bothrops jararaca e 19,4% para Crotalus durissus terrificus.

serpente; Hepatozoon; prevalência; infecção


Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Veterinária Caixa Postal 567, 30123-970 Belo Horizonte MG - Brazil, Tel.: (55 31) 3409-2041, Tel.: (55 31) 3409-2042 - Belo Horizonte - MG - Brazil
E-mail: abmvz.artigo@abmvz.org.br