Desempenho, qualidade de carcaça e avaliação econômica de suínos abatidos acima de 100kg

E.A. Oliveira T.M. Bertol A. Coldebela J.I. Santos Filho A.J. Scandolera M.B. Warpechowski Sobre os autores

RESUMO

A evolução das linhagens sintéticas de suínos propiciou a obtenção de animais com potencial máximo de deposição proteica em pesos superiores; entretanto o peso ótimo de abate dessas linhagens não é conhecido. O objetivo do estudo foi avaliar o desempenho, características de carcaça e avaliação econômica de 417 suínos da linhagem Agroceres PIC abatidos com 100, 115, 130 e 145kg de peso vivo. Os suínos foram criados em baias com 10-11 machos ou fêmeas, com fornecimento programado de 2,8kg de ração por animal, por dia, a partir de 80kg até os pesos de abate (PA) de 99.65±0.82kg, 118.53±0.98kg, 133.97±1.17kg, e 143.90±1.24. Não houve interação entre sexo e PA (P>0,05). A espessura de toucinho, área de gordura e área de olho de lombo aumentaram linearmente com o PA (P<0,001; R² entre 70,12 e 77,44%), e o rendimento de carcaça aumentou de forma quadrática (P<0,001; R²=24,66%). A porcentagem de carne magra não foi afetada (P>0.05) e a conversão alimentar (R²=43,29%) apresentou discreta piora linear com o PA (P<0,001), mas o efeito sobre o custo de produção (R$/Kg) foi quadrático, com ponto de mínima aos 134,85kg. Conclui-se que, com o manejo utilizado, a elevação do PA resulta em aumento na quantidade de carne produzida sem alteração no seu rendimento e apresenta pouco efeito sobre o desempenho.

tipificação; consumo restrito; suíno pesado; produção de carne

Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Veterinária Caixa Postal 567, 30123-970 Belo Horizonte MG - Brazil, Tel.: (55 31) 3409-2041, Tel.: (55 31) 3409-2042 - Belo Horizonte - MG - Brazil
E-mail: abmvz.artigo@abmvz.org.br