Efeito aditivo do óleo de polpa de pequi (Caryocar brasiliense Camb.) sobre a biocompatibilidade de membranas de colágeno e gelatina implantadas no subcutâneo

A.S. Rabbers R.E. Rabelo L.P. Oliveira M. Ribeiro V.C.A. Martins A.M.G. Plepis V.A.S. Vulcani Sobre os autores

RESUMO

Trauma ou lesões causadas por doenças podem enfraquecer e degenerar os tecidos humanos e animais. O uso de biomateriais para reparação direta ou indireta surgiu como uma alternativa promissora e tornou-se um importante tema de pesquisa. O óleo de pequi (Caryocar brasiliense Camb.) mostrou propriedades antifúngicas, antibacterianas, anti-inflamatórias, curativas, antitumorais e antioxidantes. O objetivo deste estudo foi obter um novo biomaterial, produzido pela combinação de óleo de pequi, colágeno e gelatina, para avaliar sua biocompatibilidade em comparação às membranas produzidas sem o óleo. As membranas foram preparadas por meio da mistura de colágeno de tendão bovino, gelatina comercial e óleo de pequi. Os processos inflamatórios e cicatriciais foram avaliados por histopatologia da interface / implantes de tecido subcutâneo de ratos Wistar para avaliação quantitativa da produção de leucócitos e colágeno. Observou-se que a presença de óleo de pequi reduziu a quantidade de células gigantes de corpo estranho e favoreceu o recrutamento de fibroblastos (P<0,01), promovendo, assim, maior produção da membrana de colágeno em comparação com a membrana de controle. Portanto, pode-se concluir que a adição de óleo de pequi melhorou a biocompatibilidade do colágeno e acelerou o processo de cicatrização.

Palavras-chave:
colágeno de membranas; lesões de tecidos; óleo de pequi

Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Veterinária Caixa Postal 567, 30123-970 Belo Horizonte MG - Brazil, Tel.: (55 31) 3409-2041, Tel.: (55 31) 3409-2042 - Belo Horizonte - MG - Brazil
E-mail: abmvz.artigo@abmvz.org.br