Efeito do flushing sobre o desempenho reprodutivo de ovelhas Morada Nova e Santa Inês submetidas à inseminação artificial em tempo fixo

The effect of flushing on the reproductive performance of Morada Nova and Santa Inês ewes submitted to fixed time artificial insemination

F.P. Gottardi A. Souza Júnior Y.G.S. Barbosa C.A.T. Marques L.R. Bezerra M.J. Araújo G.Z. Mingoti J.N.C. Torreão Sobre os autores

O objetivo do estudo foi analisar o efeito do flushing, do protocolo hormonal para sincronização de estro e da IATF sobre o desempenho reprodutivo de ovelhas Morada Nova (MN) e Santa Inês (SI). Foram utilizadas 27 ovelhas SI e 24 ovelhas MN suplementadas com concentrado (1% do peso vivo, em média) durante 75 dias de estação reprodutiva. Após 30 dias de suplementação, as ovelhas foram sincronizadas com protocolo hormonal (PH) à base de progestágeno, eCG e cloprostenol. A observação de estro foi realizada após 12, 24, 36 e 48 horas do término do PH, com o auxílio de dois rufiões, e a IATF foi realizada aproximadamente 55 horas após o final do PH. Do 20º ao 45º dia após o início do PH, realizou-se o repasse com um reproduto Dorper. O diagnóstico de prenhez foi realizado 70 dias após a IATF. Foi analisado o peso, escore da condição corporal (ECC), taxa de apresentação de estro, taxa de prenhez e prolificidade, testando-se os efeitos da raça, semana de suplementação (SS) e classe de ECC. O peso e ECC das ovelhas variaram em função da SS. Foi observada taxa de estro de 88,2%, sendo que 43,2% das ovelhas apresentaram estro até 24 horas do final do PH. A taxa de prenhez por IATF foi de 31,4% e a de prenhez após repasse foi de 50,0%, sendo que a classe de ECC interferiu nas taxas de prenhez. Obteve-se maior porcentagem de partos múltiplos de ovelhas prenhes por IATF do que por monta natural no repasse. Conclui-se que o flushing resultou em ganho de peso e aumento do ECC, o que garantiu a padronização do rebanho para a estação reprodutiva e, consequentemente, melhorou o desempenho reprodutivo. O PH utilizado aumentou a prolificidade e adiantou o início do estro; porém, não foi eficiente na sincronização de ovelhas deslanadas.

ovino; condição corporal; estro; prolificidade; sincronização


Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Veterinária Caixa Postal 567, 30123-970 Belo Horizonte MG - Brazil, Tel.: (55 31) 3409-2041, Tel.: (55 31) 3409-2042 - Belo Horizonte - MG - Brazil
E-mail: abmvz.artigo@abmvz.org.br