Parâmetros hematológicos das serpentes: suaçuboia (Corallus hortulanus, Linnaeus, 1758) e píton birmanesa (Python bivittatus, Kuhl, 1820) em cativeiro

A.E. Quadrini V.C. Garcia B.C. Freire M.F.M. Martins Sobre os autores

RESUMO

A hematologia das serpentes tem se tornado algo de grande importância para o diagnóstico clínico, visto que as técnicas de manutenção em cativeiro vêm aumentando a expectativa de vida. O surgimento de doenças em cativeiro leva à necessidade de criar parâmetros para conhecer as espécies em seu estado hígido. A possível associação entre o surgimento de neoplasias, imunossupressão e infecção viral também é um importante fator a ser considerado. Assim, a hematologia é uma ferramenta fundamental para se observarem as respostas dos animais diante das doenças e dos tratamentos. Nesse contexto, o presente estudo tem como objetivo o estudo hematológico entre duas espécies de serpentes e a comparação dos perfis encontrados com a literatura atual. Foi coletado sangue de 16 serpentes de ambos os sexos da família Boidae: sete Corallus hortulanus, e da família Pythonidae: nove Python bivittatus, pertencentes ao Museu Biológico do Instituto Butantan, São Paulo, Brasil. Foram avaliados o hemograma completo com esfregaço sanguíneo, a contagem total de eritrócitos, os leucócitos e a contagem diferencial de leucócitos. Os dados obtidos neste estudo poderão auxiliar no diagnóstico e no tratamento de serpentes em cativeiro e em programas de conservação da natureza.

Palavras-chave:
hemograma; hematologia; serpentes; Boidae; Pythonidae

Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Veterinária Caixa Postal 567, 30123-970 Belo Horizonte MG - Brazil, Tel.: (55 31) 3409-2041, Tel.: (55 31) 3409-2042 - Belo Horizonte - MG - Brazil
E-mail: abmvz.artigo@abmvz.org.br