Ação anestésica e oftálmica da administração de colírio de tetracaína 1% e proparacaína 0,5% em cães

Estudou-se a ação do colírio de tetracaína 1%, em associação com a fenilefrina 0,1% em duas posologias diferenciadas, bem como seus efeitos oculares, comparando-a com a do colírio de proparacaína 0,5% em cães. Vinte e dois animais foram separados em dois grupos. Os do GT (n=11) receberam colírio de tetracaína 1% associada à fenilefrina 0,1%, sendo uma gota instilada no olho esquerdo e duas gotas, com intervalo de um minuto entre cada, instiladas no olho direito; e os do GP (n=11), receberam colírio de proparacaína 0,5% seguindo a mesma posologia. A média de duração da ação anestésica observada foi de 25 minutos para a tetracaína e 15 minutos para a proparacaína. A instilação de duas gotas aumentou o tempo anestésico em cinco minutos. Não ocorreram alterações na pressão intra-ocular, no diâmetro pupilar e na produção lacrimal. O colírio de tetracaína desencadeou quemose em quatro (36,4%) animais. Na anestesia tópica do olho com proparacaína não ocorreram reações adversas sendo, assim, recomendada preferencialmente.

cão; anestesia tópica; olho; estesiometria; Cochet-Bonnet


Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Veterinária Caixa Postal 567, 30123-970 Belo Horizonte MG - Brazil, Tel.: (55 31) 3409-2041, Tel.: (55 31) 3409-2042 - Belo Horizonte - MG - Brazil
E-mail: abmvz.artigo@abmvz.org.br