Vacinação de suínos com antígenos de Toxoplasma gondii incorporados a complexos imunoestimulantes (iscoms)

A imunidade ao Toxoplasma gondii foi estudada em suínos, após a vacinação com antígenos de T. gondii incorporados a complexos imunoestimulantes (iscoms). Nove animais (grupo 1-G1) foram inoculados, via subcutânea, com três doses de iscoms (amostra LIV-5) em intervalos de 21 e 13 dias. Para comparar os resultados obtidos, outros três grupos com nove suínos cada foram formados: o grupo 2 (G2) foi imunizado com os antígenos da amostra LIV-5 sem o iscom, o grupo 3 (G3) foi inoculado com taquizoítas da amostra RH de T. gondii e o grupo 4 (G4) não foi imunizado. Quatro animais não receberam a vacina nem o desafio com o T. gondii (grupo 5-G5). Trinta dias após as imunizações os suínos foram desafiados, via oral, com 5´10(4) oocistos da amostra AS-28 de T. gondii. Os animais foram sacrificados 47 dias após o desafio e fragmentos de coração, músculo, cérebro, fígado, língua e retina foram colhidos para a inoculação experimental em camundongos. Três dos nove suínos do G2 e um dos nove suínos do G4 apresentaram temperatura elevada após o desafio. A resposta humoral (IgG) foi analisada pela reação de imunofluorescência indireta. A primeira vacinação com o iscom induziu baixos níveis de anticorpos, a segunda e a terceira resultaram em altos níveis, semelhantes aos encontrados na infecção com a amostra RH (G3). O Western blotting indicou que a resposta humoral do G1, após o desafio, foi mais intensa que a dos animais não vacinados. O T. gondii não foi isolado no bioensaio das amostras de tecido dos suínos vacinados com iscom, mas foram recuperados em quatro suínos do G4, um suíno do G2 e um do G3.

Toxoplasma gondii; suíno; vacina; iscom


Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Veterinária Caixa Postal 567, 30123-970 Belo Horizonte MG - Brazil, Tel.: (55 31) 3409-2041, Tel.: (55 31) 3409-2042 - Belo Horizonte - MG - Brazil
E-mail: abmvz.artigo@abmvz.org.br