Seleção de probiótico autóctone para Astyanax bimaculatus

A. Jatobá A.V. Moraes L.D. Steckert G.F.A. Jesus Sobre os autores

RESUMO

Este estudo objetivou isolar bactéria ácido-láctica nativa do lambari-do-rabo-amarelo (Astyanax bimaculatus) e seu efeito na microbiota e morfologia do trato digestório do hospedeiro, assim como a sobrevivência após um desafio experimental. As bactérias isoladas foram avaliadas quanto a suas inibições in vitro contra bactérias patogênicas; a cepa com maior capacidade de inibição foi identificada como Lactobacillus spp. Para o teste in vivo, 80 peixes foram distribuídos em 10 tanques equipados com sistema de recirculação. As unidades experimentais foram divididas em dois tratamentos: peixes alimentados com Lactobacillus spp. suplementado e peixes alimentados com dieta não suplementada (controle). Após 30 dias, foram coletados o trato intestinal de três peixes, por unidade experimental, para análises microbiológicas e histológicas. Outros cinco peixes foram inoculados com 2,1x104UFCmL-1 de Aeromonas hydrophila para se avaliar a sobrevivência após 24h. Lambaris alimentados com probiótico apresentaram menor contagem de Vibrios spp., Pseudomonas spp. e Staphylococcus spp., e maior de bactérias ácido-lácticas quando comparados com o tratamento controle, assim como aumento do comprimento, da largura e do perímetro das vilosidades intestinais e maior taxa de sobrevivência (16,2%,) após desafio experimental, em comparação com o grupo sem suplementação. Os resultados mostram que o Lactobacillus spp. possui efeito probiótico para o lambari-do-rabo-amarelo.

Palavras-chave:
Lactobacillus; lambari-do-rabo-amarelo; morfologia do intestino; microbiota; desafio experimental

Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Veterinária Caixa Postal 567, 30123-970 Belo Horizonte MG - Brazil, Tel.: (55 31) 3409-2041, Tel.: (55 31) 3409-2042 - Belo Horizonte - MG - Brazil
E-mail: abmvz.artigo@abmvz.org.br
Accessibility / Report Error