O antagonista das prostaglandinas alivia a ruptura da barreira sanguínea retiniana induzida pela cirurgia intraocular do segmento anterior em um modelo em ratos

Maosong Xie Libin Huang Guoxing Xu Sobre os autores

RESUMO

Objetivos:

Avaliar a eficácia do antagonista de prostaglandinas no rompimento da barreira hemato-retiniana induzida por cirurgia simulada intraocular do segmento anterior.

Métodos:

Os ratos foram divididos aleatoriamente em grupo controle negativo, grupo modelo, grupo de tratamento profilático com drogas anti-inflamatórias não esteroides, grupo de tratamento com anti-inflamatórias não esteroides, grupo de tratamento profilático com corticosteroides e grupo de tratamento com corticosteroides. Quatro e 48h após a modelagem, as concentrações de PGE1, PGE2 e PGF2 α no humor aquoso e no corpo vítreo em modelo em ratos foram detectadas através de Elisa. A integridade da barreira hemato-retiniana foi quantitativamente mensurada utilizando o azul de Evans como marcador.

Resultados:

Quatro horas após a modelagem, as concentrações de PGE1, PGE2 e PGF2α no humor aquoso e no corpo vítreo no grupo controle negativo e no grupo de tratamento profilático com anti-inflamatórias não esteroides foram significativamente menores do que as do grupo modelo. As concentrações de PGE1, PGE2 e PGF2α no humor aquoso e no corpo vítreo no grupo de tratamento profilático com corticosteroides foram maiores do que as observadas no grupo controle negativo e no grupo de tratamento profilático com anti-inflamatórias não esteroides. 48h após a modelagem, as concentrações de PGE1, PGE2 e PGF2α no humor aquoso e no corpo vítreo no grupo de tratamento profilático com anti-inflamatórias não esteroides, no grupo de tratamento com anti-inflamatórias não esteroides, no grupo de tratamento profilático com corticosteroides e no grupo de tratamento com corticosteroides foram menores do que as observadas no grupo modelo e maiores que as observadas no grupo negativo. O extravasamento retinal de azul de Evans no grupo de tratamento profilático com anti-inflamatórias não esteroides foi maior que no grupo controle negativo e menor que nos grupos de tratamento com anti-inflamatórias não esteroides, de tratamento profilático com corticosteroides, de tratamento com corticosteroides e no grupo modelo. O extravasamento retinal de azul de Evans observado nos grupos de tratamento com anti-inflamatórias não esteroides, de tratamento profilático com corticosteroides e de tratamento com corticosteroides foi inferior ao observado no grupo modelo.

Conclusões:

Este estudo valida que o antagonista das prostaglandinas pode aliviar a ruptura da barreira hemato-retiniana em um modelo em ratos e que o tratamento profilático com anti-inflamatórias não esteroides pode alcançar melhor eficácia.

Descritores:
Barreira hematorretiniana; Antagosnistas de prostaglandina; Anti-inflamatórios não esteroides; Corticosteroides; Segmento anterior do olho/cirurgia; Ratos

Conselho Brasileiro de Oftalmologia Rua Casa do Ator, 1117 - cj.21, 04546-004 São Paulo SP Brazil, Tel: 55 11 - 3266-4000, Fax: 55 11- 3171-0953 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: abo@cbo.com.br