Aprendizado cirúrgico de estrabismo para residentes de Oftalmologia de serviço universitário

OBJETIVO: Verificar percepções do residente de Oftalmologia e do supervisor em relação ao método de ensino e ao aprendizado cirúrgico de estrabismo. DESENHO: Estudo descritivo. MÉTODOS: Participantes: residentes do 1º (R1) e 2º (R2) ano. Cada residente estudou a técnica cirúrgica padrão em CD-ROM, então, realizou um retrocesso de músculo reto de coelho albino, e em sequência, cirurgia de correção de estrabismo em pacientes. Foi aplicado questionário estruturado aos residentes, e registradas observações do aprendizado pelo supervisor, incluindo-se variáveis referentes à aplicação da técnica cirúrgica de estrabismo, autoavaliação do domínio da técnica e do treinamento recebido. RESULTADOS: Foram estudados 38 questionários. Todos R1 relataram ter pouca ou média dificuldade em relação à lembrança da sequência de passos do procedimento e 69,6% dos R2. No manuseio do instrumental 93,3% dos R1 relataram algum grau de dificuldade e 52,2% dos R2. Os residentes relatam que no momento cirúrgico lembram do que foi ensinado na fase experimental (50%), e que este treinamento atende totalmente suas necessidades para 47% dos residentes e em parte para outros 47%. CONCLUSÃO: Cirurgia experimental, mais oportunidades práticas e supervisão dos residentes pode aprimorar o ensinamento cirúrgico de estrabismo.

Estrabismo; Aprendizagem; Competência clínica; Internato e residência; Oftalmologia; educação; Ensino; métodos


Conselho Brasileiro de Oftalmologia Rua Casa do Ator, 1117 - cj.21, 04546-004 São Paulo SP Brazil, Tel: 55 11 - 3266-4000, Fax: 55 11- 3171-0953 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: abo@cbo.com.br