O papel da disfunção da glândula meibomiana no desenvolvimento da síndrome do olho seco em pacientes com paralisia do nervo facial

Meryem Altın Ekın Seyda Karadenız Ugurlu Seher Sarıtepe Imre Hazan Gul Kahraman Sobre os autores

RESUMO

Objetivo:

Investigar se a disfunção da glândula mei bomiana é a causa do olho seco na paralisia do nervo facial e também identificar possíveis relações entre grau e duração da paralisia do nervo facial e disfunção da glândula meibomiana.

Métodos:

Este estudo prospectivo observacional incluiu 63 pacientes com paralisia unilateral do nervo facial. A função e gravidade do nervo facial foram avaliadas pelo sistema de graduação House-Brack mann. Os olhos contralaterais não afetados foram usados como grupo controle. Os seguintes parâmetros foram comparados: tempo de ruptura do rasgo, teste de Schirmer 1, escores de da área e densidade para coloração da córnea com fluoresceína, anormalidade da pálpebra, expressão da glândula meibomiana, escores de meibografia e áreas de perda da glândula meibomiana. Foi realizada a análise de correlação de Pearson entre o grau e a duração da paralisia do nervo facial e disfunção da glândula meibomiana.

Resultados:

Os olhos afectados pela paralisia do nervo facial demonstraram um tempo significativamente menor de ruptura do rasgo (p<0, 001) e valores significativamente mais elevados para a coloração da córnea com fluoresceína (p<0, 001), teste de Schirmer 1 (p=0,042), escores de anormalidade da pálpebra (p<0,05), expressão da glândula meibomiana (p=0,005), escores de meibografia (p<0,05) e áreas de perda da glândula meibomiana ( p<0,05). O grau e a duração da paralisia do nervo facial foram significativamente correlacionados com a disfunção da glândula meibomiana (p<0,05).

Conclusões:

A disfunção da glândula meibomiana tem uma contribuição significativa para o desenvolvimento da síndrome do olho seco após a paralisia do nervo facial. Além disso, observou-se uma forte correlação entre o grau e a duração da paralisia do nervo facial e a disfunção da glândula meibomiana.

Descritores:
Glândula tarsal; Síndrome do olho seco; Nervo facial; Paralisia facial

Conselho Brasileiro de Oftalmologia Rua Casa do Ator, 1117 - cj.21, 04546-004 São Paulo SP Brazil, Tel: 55 11 - 3266-4000, Fax: 55 11- 3171-0953 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: abo@cbo.com.br