Arquivos Brasileiros de Oftalmologia, Volume: 85, Número: 2, Publicado: 2022
  • Fatores de impacto de uma década em revistas de oftalmologia e o efeito das características do jornal: um estudo longitudinal Editorial

    Nandyala, Sushma; Mohamed, Ashik; Chaurasia, Sunita; Narayanan, Raja
  • Lisozima lacrimal na síndrome de Sjögren, disfunção da glândula meibomiana e olho não seco Original Article

    Berra, Martín; Galperín, Gustavo; Berra, Federico; Marquez, Maria Isabel; Mandaradoni, Mariana; Tau, Julia; Berra, Alejandro

    Resumo em Português:

    RESUMO Objetivo: Avaliar a concentração de lisozima la crimal na síndrome de Sjögren, disfunção da glândula mei bomiana e doença ocular não seca. Métodos: Noventa indivíduos foram recrutados para este estudo: 30 indivíduos com síndrome de Sjögren, 30 indivíduos com disfunção da glândula meibomiana e 30 indivíduos com doenças oculares não secas. Todos os sujeitos foram encaminhados para estudo de investigação de “olho seco”, sendo submetidos a um exame oftálmico completo de superfície ocular (índice de doença da superfície ocular, biomicroscopia, tempo de ruptura do rasgo, teste de Schirmer tipo I, coloração vital da conjuntiva com fluoresceína e lissamina verde e concentração e citologia da lisozima lacrimal. Resultados: Os testes clínicos mostraram: índice de doença da superfície ocular e Síndrome de Sjögren: 64,5 ± 22,6, disfunção da glândula meibomiana: 43,5 ± 21,4, doença ocular não seca: 6,7 ± 4,3 (valor de p=0,02 entre grupos); Teste de Schirmer I (mm/5min), síndrome de Sjögren: 4,95 ± 2,25, disfunção da glândula meibomiana: 13,28 ± 1,53, doença ocular não seca: 13,70 ± 1,39 (p<0,01, síndrome de Sjögren vs. doença ocular não seca e p<0,01, disfunção da glândula meibomiana vs. doença ocular não seca); tempo de ruptura do rasgo (segundos), síndrome de Sjögren: 3,97 ± 1,47, disfunção da glândula meibomiana: 3,95 ± 0,86, doença ocular não seca: 7,25 ± 1,90 (p<0,01, síndrome de Sjögren vs. doença ocular não seca e p<0,01, disfunção da glândula meibomiana vs. doença ocular não seca); escore de lissamina verde, síndrome de Sjögren - olho seco: 6,18 ± 2,14, disfunção da glândula meibomiana - olho seco: 5.27 ± 1,27, doença ocular não seca: 1,52 ± 0,97 (p<0,01, síndrome de Sjögren vs. doença ocular não seca e p<0,01, disfunção da glândula meibomiana vs. doença ocular não seca); escore de citologia de impressão, síndrome de Sjögren: 1,88 ± 0,92, disfunção da glândula meibomiana: 1,67 ± 0,56, doença ocular não seca: 0,45 ± 0,44 (p<0,01, síndrome de Sjögren vs. doença ocular não seca e p<0,01, disfunção da glândula meibomiana vs. doença ocular não seca) e concentração de lisozima lacrimal (µg/mL), síndrome de Sjögren: 751,25 ± 244,73, disfunção da glândula meibomiana: 1423,67 ± 182,75, doença ocular não seca: 1409,90 ± 188,21 (p<0,01, síndrome de Sjögren vs. doença ocular não seca e p<0,01, síndrome de Sjögren vs. disfunção da glândula meibomiana). Conclusão: A concentração de lisozima nas lágrimas foi menor nos pacientes com síndrome de Sjögren do que nos grupos com disfunção da glândula meibomiana e doença ocular não seca. A lisozima lacrimal poderia ser considerada como um biomarcador simples, não invasivo e econômico para diferenciar o olho seco da síndrome de Sjögren do olho seco da disfunção da glândula meibomiana.

    Resumo em Inglês:

    ABSTRACT Purpose: To evaluate the concentration of tear lysozyme in individuals with Sjogren´s syndrome, meibomian gland dysfunction, and non-dry-eye disease. Methods: Ninety subjects were recruited for this study, including 30 with Sjogren´s syndrome, 30 with meibomian gland dysfunction, and 30 with non-dry-eye disease. All subjects were referred to participate in the study based on a “dry eye” investigation. They underwent a complete ocular surface ophthalmic examination encompassing ocular surface disease index, biomicroscopy, tear break-up time, Schirmer test type I, conjunctival vital staining with fluorescein and lissamine green, tear lysozyme concentration, and impression cytology. Results: Clinical tests yielded the following results: ocular surface disease index Sjogren´s syndrome: 64.5 ± 22.6 meibomian gland dysfunction: 43.5 ± 21.4, non-dry-eye disease: 6.7 ± 4.3 (p=0.02 between groups); Schirmer I test (mm/5 min): Sjogren´s syndrome: 4.95 ± 2.25, meibomian gland dysfunction: 13.28 ± 1.53, non-dry-eye disease 13.70 ± 1.39 (p<0.01 Sjogren´s syndrome vs. non-dry-eye disease and p<0.01 meibomian gland dysfunction vs. non-dry-eye disease); tear break-up time (seconds): Sjogren´s syndrome: 3.97 ± 1.47, meibomian gland dysfunction: 3.95 ± 0.86, non-dry-eye disease: 7.25 ± 1.90 (p<0.01 Sjogren´s syndrome vs. non-dry-eye disease and p<0.01 meibomian gland dysfunction vs. non-dry-eye disease); Lissamine green score: Sjogren´s syndrome-dry-eye: 6.18 ± 2.14, meibomian gland dysfunction-dry-eye: 5.27 ± 1.27, non-dry-eye disease: 1.52 ± 0.97 (p<0.01 Sjogren´s syndrome vs. non-dry-eye disease and p<0.01 meibomian gland dysfunction vs. non-dry-eye disease); impression cytology score: Sjogren´s syndrome: 1.88 ± 0.92, meibomian gland dysfunction: 1.67 ± 0.56, non-dry-eye: 0.45 ± 0.44 (p<0.01 Sjogren´s syndrome vs. non-dry-eye disease and p<0.01 meibomian gland dysfunction vs. non-dry-eye disease) and; tear lysozyme concentration (µg/mL): Sjogren´s syndrome: 751.25 ± 244.73, meibomian gland dysfunction: 1423.67 ± 182.75, non-dry-eye disease: 1409.90 ± 188.21 (p<0.01 Sjogren´s syndrome vs. non-dry-eye disease and p<0.01 Sjogren´s syndrome vs. meibomian gland dysfunction). Conclusion: The concentration of lysozyme in the tears was lower in Sjögren’s syndrome patients than in meibomian gland dysfunction and non-dry-eye disease groups. Hence, the lacrimal lysozyme could be considered as a simple, non-invasive, and economical biomarker to differentiate between Sjögren’s syndrome dry eye disease and meibomian gland dysfunction dry eye disease.
  • O tempo de regressão da neoplasia escamosa da superfície ocular usando interferon tópico Alfa-2b não depende do tamanho inicial do tumor Original Article

    Vilaltella, Magí; Huerva, Valentín

    Resumo em Português:

    RESUMO Objetivo: O objetivo deste estudo é determinar se o tamanho inicial do tumor se correlaciona com o tempo de regressão após terapia tópica com interferon alfa- 2b (1 milhão de UI/ml) no tratamento da neoplasia escamosa da superfície ocular. Métodos: Foi realizado um estudo retrospectivo em 15 doentes clinicamente diagnosticados com neoplasia escamosa da superfície ocular e tratados com interferon tópico alfa- 2b (1 milhão de UI/ml, quatro vezes ao dia). Todos os casos de neoplasia escamosa da superfície ocular incluídos no estudo apresentaram envolvimento da córnea e do limbo. A extensão inicial da neoplasia escamosa da superfície ocular foi medida em milímetros quadrados usando o programa ImageJ (LOCI, University of Wisconsin, Madison, EUA) em imagens feitas dos olhos de cada paciente imediatamente antes do início do tratamento. O tempo até a resolução do tumor foi observado em cada caso. Resulta dos: A resolução tumoral completa foi alcançada em todos os casos, com média da extensão inicial de 26,71 mm² (desvio padrão ± 17,21 mm²) e tempo médio até a resolução de 77 dias (desvio padrão ± 32 dias). Um aumento do volume tumoral após 15 dias de tratamento foi observado em 2 pacientes com resolução completa do tumor. Não houve correlação significativa entre o tempo até a resolução e a extensão inicial do tumor medida em milímetros quadrados (teste de Spearman, p=0,347). Conclusões: Nosso estudo sugere que a duração do tratamento necessário com interferon alfa- 2b tópico não depende do tamanho inicial do tumor de neoplasia escamosa da superfície ocular geralmente encontrada na prática clínica.

    Resumo em Inglês:

    ABSTRACT Purpose: The aim of this study was to determine if the initial tumor size correlates with the time to regression after topical interferon alfa-2b (1 million IU/mL) therapy in the treatment of ocular surface squamous neoplasia. Methods: A retrospective study was performed in 15 patients clinically diagnosed as having ocular surface squamous neoplasia and treated with topical interferon alfa-2b (1 million IU/mL, four times a day). All the cases of ocular surface squamous neoplasia included in the study had corneo-limbal involvement. The initial extension of the ocular surface squamous neoplasia was measured in square millimeters using the program ImageJ (LOCI, University of Wisconsin, Madison, USA) on images taken from the eyes of each patient immediately before the beginning of the treatment. The time until tumor resolution was measured for each case. Results: Complete tumor resolution was achieved in all the cases, with a mean initial tumor extension of 26.71 mm² (standard deviation ± 17.21 mm²) and a mean time until resolution of 77 days (standard deviation ± 32 days). An increased tumor volume after 15 days of treatment was obser ved in 2 patients, which completely resolved. No significant correlation was found between the time to resolution and the initial tumor extension measured in square millimeters (Spear man test, p=0.347). Conclusions: Our study suggests that the duration of topical interferon alfa-2b treatment required does not depend on the initial tumor size of the ocular surface squamous neoplasia usually found in clinical practice.
  • Genótipo CT do TXNRD2 (rs35934224) como um possível marcador de proteção para glaucoma primário de ângulo aberto em uma população brasileira Original Article

    Tenório, Artur Lins; Lira, Rodrigo Pessoa Cavalcanti; Carmo, Rodrigo Feliciano do; Galvão Filho, Roberto Pedrosa; Falcão Neto, Pedro Teixeira; Vaz, Rinalva Tenório; Lima, Raul Emidio de; Tenório, André Lins; Vasconcelos, Luydson Richardson

    Resumo em Português:

    RESUMO Objetivo: Investigar a associação do Polimorfismo de nucleotídeo único rs35934224 no gene TXNRD2 com o glaucoma primário de ângulo aberto em uma população brasileira. Métodos: Tratou-se de um estudo transversal para verificar a associação entre o rs35934224 do TXNRD2 (tioredoxina redutase 2) e o glaucoma primário de ângulo aberto em uma população da região nordeste do Brasil. Foram incluídos 184 indivíduos: 94 casos com glaucoma primário de ângulo aberto (45 homens e 49 mulheres) e 94 controles (40 homens e 54 mulheres) do Instituto de Olhos de Recife. Resultados: A idade média foi de 68,85 anos para os pacientes com glaucoma e 68,55 anos para os controles. O DNA genômico foi isolado usando kits comerciais disponíveis e a detecção do polimorfismo de nucleotídeo único foi realizada por PCR em tempo real usando sondas TaqMan. A população estudada estava em equilíbrio de Hardy-Weinberg. O genótipo CT foi associado à proteção ao glaucoma primário de ângulo aberto (p=0,022). Conclusão: Nossos dados sugerem uma associação entre o polimorfismo do gene TXNRD2 (rs35934224) e o glaucoma primário de ângulo aberto em uma população brasileira. Este é o primeiro estudo a investigar esse polimorfismo de nucleotídeo único em indivíduos com glaucoma primário de ângulo aberto latino-americanos.

    Resumo em Inglês:

    ABSTRACT Purpose: To investigate the association of the single-nucleotide polymorphism rs35934224 in the TXNRD2 gene with primary open-angle glaucoma in a Brazilian population. Methods: This was a cross-sectional study conducted to verify the association between the rs35934224 TXNRD2 (thioredoxin reductase 2) and primary open-angle glaucoma in a population from the Northeast region of Brazil. A total of 184 individuals were enrolled, including 94 with primary open-angle glaucoma (45 men and 49 women) and 94 controls (40 men and 54 women) from the Recife Eye Institute. Results: The mean age was 68.85 years for the patients with glaucoma and 68.55 years for the controls. Genomic DNA was isolated using commercially available kits, and single-nucleotide polymorphism was detected with real-time polymerase chain reaction using TaqMan probes. The studied population was in Hardy-Weinberg equilibrium. The CT genotype was associated with protection against primary open-angle glaucoma (p=0.022). Conclusion: Our data suggest an association between TXNRD2 gene polymorphism (rs35934224) with primary open-angle glaucoma in an admixed Brazilian po pulation. This is the first study to investigate this single-nucleo tide polymorphism in Latin American individuals with primary open-angle glaucoma.
  • Espessura do complexo de células maculares e ganglionares após vitrectomia com técnica de flap invertido para orifício macular idiopático Original Article

    Valera-Cornejo, Diego; García-Roa, Marlon; Ramírez-Neria, Paulina; Romero-Morales, Veronica; García-Franco, Renata

    Resumo em Português:

    RESUMO Objetivo: Analisar a camada plexiforme interna de células maculares e ganglionares e as espessuras da camada de fibras nervosas da retina após vitrectomia com técnica de flap invertido para orifício macular idiopático. Métodos: Estudo prospectivo de 28 olhos submetidos à cirurgia de orifícios ma culares idiopáticos. Foi realizada a técnica de flap invertido da membrana limitante interna usando Azul Brilhante (0,05%). Os exames oftalmológicos e a análise quantitativa da espessura do complexo de células maculares ganglionares foram analisados na linha de base com 1 mês e 3 meses após a cirurgia. Resultados: A espessura média pré-operatória da camada plexiforme interna de células ganglionares e da camada plexiforme interna de células ganglionares ± camada de fibra nervosa da retina foi de 88,9 µm e 124,8 µm, respectivamente; a espessura média da camada plexiforme interna de células ganglionares com 1 mês e 3 meses após a cirurgia foi reduzida para 72,8 µm e 65,2 µm (p<0,001 e p<0,001, respectivamente). A espessura média da camada plexiforme interna de células ganglionares pós-operatórias + da camada de fibra nervosa da retina também foi reduzida com 1 e 3 meses (108,8 µm e 99,3 µm; p<0,001 e p<0,001, respectivamente). Nenhuma diferença significativa foi observada entre a acuidade visual melhor corrigida pré e pós-operatória com 1 e 3 meses (p <0, 73 e p<0, 14, respectivamente). Conclusão: A camada plexiforme interna de células maculares ganglionares e a camada plexiforme interna de células ganglionares ± as espessuras da camada de fibra nervosa da retina foram significativamente reduzidas após vitrectomia com técnica de flap invertido usando azul brilhante (0,05%) para orifício macular idiopático.

    Resumo em Inglês:

    ABSTRACT Purpose: To analyze the macular ganglion cell-inner plexiform and retinal nerve fiber layer thicknesses after vitrectomy with the inverted flap technique for idiopathic macular holes. Methods: A prospective study was conducted on 28 eyes treated with surgery for idiopathic macular holes. The inverted internal limiting membrane flap technique assisted with Brilliant Blue staining (0.05%) was performed. Ophthalmologic examinations and quantitative analysis of the macular ganglion cell complex thickness were performed at baseline,1 and 3 months after surgery. Results: The preoperative mean thicknesses of the ganglion cell-inner plexiform layer and ganglion cell-inner plexiform layer + retinal nerve fiber layer were 88.9 and 124.8 µm, respectively. The mean ganglion cell-inner plexiform layer thicknesses at 1 and 3 months after surgery were reduced to 72.8 and 65.2 µm, respectively (p<0.001 and p<0.001, respectively). The mean postoperative ganglion cell-inner plexiform layer + retinal nerve fiber layer thickness was also reduced at 1 and 3 months (108.8 and 99.3 µm, respectively; p<0.001 and p<0.001, respectively). No significant difference was found between the preoperative and postoperative best-corrected visual acuities at 1 and 3 months (p<0.73 and p<0.14, respectively). Conclusion: The macular ganglion cell-inner plexiform layer and ganglion cell-inner plexiform layer + retinal nerve fiber layer thicknesses were significantly reduced after vitrectomy with the inverted flap technique assisted with Brilliant Blue staining (0.05%) for idiopathic macular holes.
  • O papel da disfunção da glândula meibomiana no desenvolvimento da síndrome do olho seco em pacientes com paralisia do nervo facial Original Article

    Ekın, Meryem Altın; Ugurlu, Seyda Karadenız; Imre, Seher Sarıtepe; Kahraman, Hazan Gul

    Resumo em Português:

    RESUMO Objetivo: Investigar se a disfunção da glândula mei bomiana é a causa do olho seco na paralisia do nervo facial e também identificar possíveis relações entre grau e duração da paralisia do nervo facial e disfunção da glândula meibomiana. Métodos: Este estudo prospectivo observacional incluiu 63 pacientes com paralisia unilateral do nervo facial. A função e gravidade do nervo facial foram avaliadas pelo sistema de graduação House-Brack mann. Os olhos contralaterais não afetados foram usados como grupo controle. Os seguintes parâmetros foram comparados: tempo de ruptura do rasgo, teste de Schirmer 1, escores de da área e densidade para coloração da córnea com fluoresceína, anormalidade da pálpebra, expressão da glândula meibomiana, escores de meibografia e áreas de perda da glândula meibomiana. Foi realizada a análise de correlação de Pearson entre o grau e a duração da paralisia do nervo facial e disfunção da glândula meibomiana. Resultados: Os olhos afectados pela paralisia do nervo facial demonstraram um tempo significativamente menor de ruptura do rasgo (p<0, 001) e valores significativamente mais elevados para a coloração da córnea com fluoresceína (p<0, 001), teste de Schirmer 1 (p=0,042), escores de anormalidade da pálpebra (p<0,05), expressão da glândula meibomiana (p=0,005), escores de meibografia (p<0,05) e áreas de perda da glândula meibomiana ( p<0,05). O grau e a duração da paralisia do nervo facial foram significativamente correlacionados com a disfunção da glândula meibomiana (p<0,05). Conclusões: A disfunção da glândula meibomiana tem uma contribuição significativa para o desenvolvimento da síndrome do olho seco após a paralisia do nervo facial. Além disso, observou-se uma forte correlação entre o grau e a duração da paralisia do nervo facial e a disfunção da glândula meibomiana.

    Resumo em Inglês:

    ABSTRACT Purpose: To investigate whether meibomian gland dysfunction is the cause of dry eye in facial nerve palsy and to identify the possible relationship between the grades and durations of facial nerve palsy and meibomian gland dysfunction. Methods: This prospective observational study included 63 patients with unilateral facial nerve palsy. Facial nerve function and severity were assessed using the House-Brackmann grading system. Unaffected contralateral eyes were used as the control group. The following parameters were compared: tear breakup time, Schirmer 1 test score, area and density scores for corneal fluorescein staining, eyelid abnormality, meibomian gland expression, meibography scores, and areas of meibomian gland loss. A Pearson correlation analysis was performed between the grades and durations of facial nerve palsy and meibomian gland dysfunction. Results: The eyes affected by facial nerve palsy demonstrated significantly lower tear breakup time (p<0.001) and significantly higher values for corneal fluorescein staining (p<0.001), Schirmer 1 test score (p=0.042), lid abnormality score (p<0.05), meibomian gland expression level (p=0.005), meibography scores (p<0.05), and areas of meibomian gland loss (p<0.05). The grade and duration of facial nerve palsy significantly correlated with meibomian gland dysfunction (p<0.05). Conclusions: Meibomian gland dysfunction has a significant contribution to the development of dry eye disease after facial nerve palsy. Furthermore, a strong correlation was observed between the grades and durations of facial nerve palsy and meibomian gland dysfunction.
  • Correlação entre o pterígio presumível com olho seco e com fatores de risco sistêmicos e oculares Original Article

    Adriano, Leidiane; Persona, Etiene Lorriane de Souza; Persona, Isvander Gustavo de Souza; Pontelli, Regina Celia Nucci; Rocha, Eduardo M.

    Resumo em Português:

    RESUMO Objetivo: Estimar a epidemiologia do pterígio; sua correlação com sintomas de olho seco e com potenciais pre ditores sistêmicos e oculares. Métodos: Estudo transversal, de base populacional, no qual foram realizadas visitas domiciliares aleatórias a 600 participantes, com 40 anos ou mais de idade, em Ribeirão Preto-SP (n=420) e Cassia dos Coqueiros-SP (n=180), Brasil. Uma entrevista estruturada com um questionário detalhado foi usada para coletar informações sobre demografia e possíveis fatores de risco. Em um segundo momento, participantes aleatórios com pterígio (n=63) ou não (n=110) foram avaliados quanto a alterações na superfície ocular. Resultados: A frequência de pterígio em Ribeirão Preto foi de 21%; 15.7% entre as mulheres e 32.1% entre os homens (p=0,0002). Em Cássia dos Coqueiros, essa taxa foi de 19.4%; onde 17.3% eram mulheres e 25.5% eram homens (p=0,28). A média de idade naqueles afetados pelo pterígio foi superior à dos participantes sem pterígio, 65,6 ± 10,5 e 61,2 ± 12,0 anos, respectivamente (p=0,02). Houve uma correlação positiva entre o pterígio e história prévia de radioterapia e quimioterapia (p<0,0001 para ambos). Houve maior coloração de fluoresceína na córnea e maior coloração de lissamina verde na conjuntiva em olhos com pterígio (p=0,0003 e 0,0001, respectivamente). Conclusão: Encontramos uma alta frequência de pterígio em duas populações adultas brasileiras, principalmente em homens e idosos. Danos na superfície ocular e história prévia de radioterapia e/ou quimioterapia foram associados ao pterígio.

    Resumo em Inglês:

    ABSTRACT Objective: To estimate the epidemiology of the pterygium and its correlation with dry eye symptoms and with the potential systemic and ocular predictors. Methods: This study is a population-based, cross-sectional study in which random visits were made to the 600 households of 600 participants of age ≥40 years in Ribeirão Preto-SP (n=420) and Cassia dos Coqueiros-SP (n=180) in Brazil. The participants were subjected to a structured interview with a detailed questionnaire to collect information on demography and the potential risk factors. Next, random participants with pterygium (n=63) or not (n=110) were evaluated for the ocular surface changes. Results: The frequency of pterygium in Ribeirão Preto was 21% (15.7% among women and 32.1% among men; p=0.0002). In Cássia dos Coqueiros, the corresponding frequency was 19.4% (17.3% among women and 25.5% among men; p=0.28). The mean age of the affected individuals was higher than that of the unaffected ones (65.6 ± 10.5 years vs. 61.2 ± 12.0 years, p=0.02). A positive correlation was noted between pterygium and any prior radiotherapy and chemotherapy (p<0.0001, for both). A higher score on corneal fluorescein and conjunctival lissamine green staining was asso ciated with pterygium (p=0.0003 and 0.0001, respectively). Conclusion: We noted a high frequency of pterygium in two Brazilian adult populations, mainly among the men and elderly. Ocular surface damage and a previous history of radiotherapy and/or chemotherapy were found to be associated with pterygium.
  • Imagem de Scheimpflug do segmento anterior após cross-linking simultâneo com tratamento de ablação personalizada guiado por topografia em ceratocone Original Article

    Akincioglu, Dorukcan; Ozge, Gokhan; Gokce, Gokcen; Ayyildiz, Onder; Karaca, Umut; Mutlu, Fatih Mehmet

    Resumo em Português:

    RESUMO Objetivo: Relatar alterações no segmento anterior após cross-linking acelerado de colágeno da córnea e tratamento de ablação personalizado guiado por topografia com sistema laser de excimer de Nidek em um único procedimento. Métodos: Foram revisados os prontuários de pacientes submetidos ao cross-linking para ceratocone progressivo. Dividimos os pacientes em quatro grupos com base no protocolo de tratamento. Os olhos foram avaliados quanto à distância da acuidade visual não corrigida, distância da acuidade visual corrigida, ceratometria (Kmax, leituras de ceratometria equivalentes, parâmetros Kíngreme e Kplano), elevações da córnea (anterior e posterior), raio anterior da curvatura, raio posterior da curvatura, volume da câmara anterior, profundidade da câmara anterior, ângulo da câmara anterior e paquímetro do ponto mais fino da córnea antes da cirurgia e com 1, 3, 6 e 12 meses após o procedimento. Resultados: Foram incluídos duzentos e cinquenta e nove olhos de 227 pacientes com ceratocone progressivo submetidos a tratamento. A média da distância da acuidade visual não corrigida e a média da distância da acuidade visual corrigida foram 0,68 ± 0,45 e 0,34 ± 0,40 no grupo-1, 0,82 ± 0,44 e 0,33 ± 0,23 no grupo-2, 0,61 ± 0,36 e 0,21 ± 0,17 no grupo-3, 0,65 ± 0,38 e 0,23 ± 0,18 no grupo-4 em LogMAR sem diferença significativa entre os grupos (p=0,14 e p=0,06). Melhoras visuais foram superiores em grupos de cirurgia combinada. A média de Kmax em dioptria no grupo 1, grupo 2, grupo 3 e grupo 4 foi de 57,24 ± 7,51, 59,26 ± 6,94, 53,73 ± 4,60 e 54,31 ± 4,25 respectivamente. O grupo 1 demonstrou aumento do Kmax por seis meses. Máximo achatamento foi observado no grupo 4 por 3,38 ± 2,35 D 1 ano após a cirurgia (p<0,05). A diminuição do ângulo da câmara anterior, da profundidade da câmara anterior e do volume da câmara anterior foi semelhante, indicando a estabilidade da câmara anterior. Conclusão: A melhora visual e anatômica é superior com a estabilidade melhorada do segmento anterior em grupos de cirurgia combinada em comparação com o cross-linking isolado.

    Resumo em Inglês:

    ABSTRACT Purpose: To report alterations in the anterior segment following accelerated corneal collagen cross-linking and topo-guided customized ablation treatment with the Nidek vision excimer laser system (Nidek Co., Ltd., Gamagori, Japan) in a single procedure. Methods: We reviewed the medical records of patients who underwent cross-linking for progressive keratoconus. We divided patients into four groups based on the treatment protocol. Eyes were evaluated regarding uncorrected distance visual acuity, corrected distance visual acuity, keratometry (maximum [Kmax], equivalent keratometry readings, Ksteep and Kflat parameters), corneal elevations (anterior and posterior), the anterior radius of curvature, the posterior radius of curvature, anterior chamber volume, anterior chamber depth, anterior chamber angle and the pachymeter of the thinnest locale of the cornea before the surgery and at 1, 3, 6, and 12 months after the procedure. Results: We included 259 eyes of 227 patients with progressive keratoconus who underwent treatment. The mean respective baseline uncorrected distance visual acuity and corrected distance visual acuity were: 0.68 ± 0.45 and 0.34 ± 0.40 in Group 1; 0.82 ± 0.44 and 0.33 ± 0.23 in Group 2; 0.61 ± 0.36 and 0.21 ± 0.17 in Group 3; and 0.65 ± 0.38 and 0.23 ± 0.18 in Group 4; logMAR did not show significant difference among the groups (p=0.14 and p=0.06, respectively). Visual improvements were better in the combined surgery groups. Mean Kmax in Groups 1, 2, 3, and 4 were 57.24 ± 7.51, 59.26 ± 6.94, 53.73 ± 4.60, and 54.31 ± 4.25 diopter (D), respectively. Group 1 demonstrated increased Kmax for 6 months. Maximum flattening by 3.38 ± 2.35 D 1 year after surgery was observed in Group 4 (p<0.05). Decreased anterior chamber angle, anterior chamber depth, and anterior chamber volume were similar, indicating the stability of the anterior chamber. Conclusion: Visual and anatomical improvement is better, with improved stability of the anterior segment, in combined surgery groups compared with cross-linking alone.
  • Sintomas e dor em ceratectomia fotorrefrativa: desepitelização mecânica comparada à transepitelial Original Article

    Rymer, Priscila; Moscovici, Bernardo Kaplan; Gomes, Rachel; Couto, Braulio; Schor, Paulo; Campos, Mauro

    Resumo em Português:

    RESUMO Objetivo: Comparar a dor e o desconforto da cera tectomia fotorefrativa mecânica vs transepitelial. Métodos: Este estudo comparativo prospectivo incluiu 190 olhos de 95 pacientes com hipermetropia, astigmatismo e miopia que foram submetidos a ceratectomia fotorefrativa mecânica em um olho e ceratectomia fotorefrativa transepithelial no olho contralateral usando o laser excimer wavelight Allegretto EX500.O intervalo entre as operações no mesmo paciente foi de 15 a 30 dias. Ambos os olhos tiveram a refração similar antes da cirurgia, com uma diferença máxima de 15-µm na ablação. Os questionários pós-operatórios foram aplicados nos dias 1 e 7 para avaliar o nível de desconforto dos pacientes (0= sem desconforto para 5= desconforto extremo) com os seguintes sintomas: dor, sensação de queimação, coceira, lacrimejamento, fotofobia, vermelhidão dos olhos, sensação corpo estranho e inchaço das pálpebras. Os pacientes também foram questionados sobre qual método eles preferiram. Resultados: A amostra foi composta por 61 (64,21%) mulheres e 34 (35,79%) Homens. A idade média (SD) do paciente era 31.66 (6.69) anos. No primeiro dia pós-operatório, os pacientes relataram menos desconforto no olho que recebeu ceratectomia fotorefrativa me cânica do que ceratectomia fotorefrativa transepithelial (1,9 ± 1,74 vs 2,5 ± 1,83; p=0,017), sensação de queimação (1,8 ± 1,56 vs 2,5 ± 1,68; p=0,004), la crimejamento (2,3 ± 1,71 vs 3,1 ± 1,69; p=0,001), e sensação corpo estranho (1,9 ± 1,77 vs 2,5 ± 1,86; p=0,024). Não foram encontradas diferenças significativas entre ceratectomia fotorefrativa mecânica e ceratectomia fotorefrativa transepithelial no dia 7 pós-operatório. Cinquenta e nove pacientes (62,10%) preferiram ceratectomia fotorefrativa mecânica, enquanto 32 (33,68%) preferiram ceratectomia fotorefrativa transepithelial. Quatro pacientes (4,22%) não expressaram nenhuma preferência. Conclusões: Nossos resultados mostraram que os escores de dor foram significativamente menores nos olhos tratados pelo ceratectomia fotorefrativa mecânica do que nos olhos tratados com ceratectomia fotorefrativa transepithelial no primeiro dia pós-operatório, o que pode ter proporcionado maior conforto do paciente após a cirurgia e os levou a ter uma preferência pela técnica ceratectomia fotorefrativa mecânica.

    Resumo em Inglês:

    ABSTRACT Purpose: To compare postoperative pain and discomfort between mechanical and transepithelial photorefractive keratectomies. Methods: This prospective comparative study included 190 eyes of 95 patients with hyperopia (up to +4.00 D), astigmatism (up to -5.00 D), and myopia (up to -8.00 D) who underwent mechanical photorefractive keratectomy in one eye and transepithelial photorefractive keratectomy in the contralateral eye using Wavelight Allegretto EX500 excimer laser. The patients were unaware of the side treated with each technique. The interval between operations in the same patient was 15-30 days. Both eyes had similar refraction before surgery, with a maximum of 15-µm difference in ablation. Postoperative questionnaires were administered on days 1 and 7 to assess the patients’ level of discomfort (0=no discomfort to 5=extreme discomfort) with the following symptoms: pain, burning sensation, itchiness, tearing, photophobia, eye redness, foreign body sensation, and eyelid swelling. Patients were also asked about which method they preferred. Results: The sample consisted of 61 women (64.21%) and 34 men (35.79%). The mean (SD) patient age was 31.66 (6.69) years (range, 22-54 years). On postoperative day 1, the patients reported significantly less discomfort in terms of pain (1.9 ± 1.74 vs 2.5 ± 1.83; p=0.017), burning sensation (1.8 ± 1.56 vs 2.5 ± 1.68; p=0.004), tearing (2.3 ± 1.71 vs 3.1 ± 1.69; p=0.001), and foreign body sensation (1.9 ± 1.77 vs 2.5 ± 1.86; p=0.024) in the eye that received mechanical photorefractive keratectomy than in the eye that received transepithelial photorefractive keratectomy. No significant differences were found between the mechanical and transepithelial photorefractive keratectomies on postoperative day 7. Fifty-nine patients (62.10%) preferred mechanical photorefractive keratectomy, while 32 (33.68%) preferred transepithelial photorefractive keratectomy. Four patients (4.22%) expressed no preference. Conclusions: Our results showed that pain scores were significantly lower in the mechanical photorefractive keratectomy-treated eyes than in the transepithelial photorefractive keratectomy-treated eyes on postoperative day 1, which may have provided greater patient comfort after surgery and led patients to prefer the mechanical photorefractive keratectomy technique.
  • Achados vasculares retinianos pós vacinação contra COVID-19 em uma série de 11 casos: coincidência ou consequência? Original Article

    Silva, Letícia S. C. da; Finamor, Luciana P. S.; Andrade, Gabriel C.; Lima, Luiz H.; Zett, Claudio; Muccioli, Cristina; Sarraf, Eduardo P.; Marinho, Paula M.; Peruchi, Julia; Oliveira, Raiza D. de L.; Giralt, Lena; Charcan, Ivonne; Fonollosa, Alex; Diaz, Jose D.; Davis, Janet L.; Nascimento, Heloisa; Belfort Jr, Rubens

    Resumo em Português:

    RESUMO Objetivos: o principal objetivo deste estudo foi descrever pacientes com achados vasculares retinianos temporalmente relacionados à vacinação contra COVID-19. Com maior notificação de possíveis eventos adversos similares, esperamos compreender a real dimensão e relevância do que foi apresentado. Métodos: Onze pacientes com queixas visuais após vacinação contra COVID-19 foram estudados. Os dados analisados foram: idade, gênero, tipo de vacinação, tempo de aparecimento de sintomas, achados sistêmicos, antecedentes pessoais, acuidade visual com melhor correção, biomicroscopia e imagem retiniana multimodal (retinografia colorida, red-free, SD-OCT, OCTA e angiofluoresceinografia). Os critérios de inclusão foram a presença de alterações oftalmológicas ocorridas dentro de 30 dias após a primeira ou segunda dose de qualquer vacina contra COVID-19. Resultados: Onze pacientes foram incluídos: 5 com oclusão arterial (45,4%), 4 com oclusão venosa (36,4%) e 2 (18,2%) com alterações não específicas vasculares sugestivas de isquemia retiniana como exsudatos algodonosos. A idade média dos pacientes foi de 57 anos (DP=16; com intervalo de 27 a 84 anos). A média de tempo de aparecimento de sintomas após a vacinação foi de 10 dias (DP=5,4; com intervalo de 3 a 16 dias). Nove dos onze pacientes eram do sexo feminino (81,8%). Fatores de risco sistêmicos foram observados em 36,4% dos pacientes. Dois pacientes tiveram sintomas neurológicos e visuais, com oclusão arterial. 36,4% dos pacientes tiveram infecção prévia por COVID-19 no último ano. Sete pacientes (63,6%) receberam a vacina ChAdOx1 nCoV-19 (AZD1222). Conclusões: nossos dados sugerem que eventos retinianos temporalmente relacionados à vacinação contra COVID-19 são possíveis, porém raros. A relação entre estes eventos pós-vacinais exigem futura atenção antes de maiores conclusões.

    Resumo em Inglês:

    ABSTRACT Purpose: The primary purpose of this study was to assess vascular retinal findings temporally related to COVID-19 vaccination. With greater information regarding all possible future adverse events, we hope to understand the real dimension and relevance of what was presented. Methods: Eleven patients with visual complaints after COVID-19 vaccination were enrolled. Data on the following were included: age, sex, vaccine, time of symptom onset, systemic findings, medical history, best-corrected visual acuity, and ocular findings by slit-lamp biomicroscopy as well as multimodal retinal imaging (color fundus, red-free photography, spectral-domain optical coherence tomography, optical coherence tomography angiography, and fluorescein-angiography). Inclusion criteria were the presence of ophthalmologic signs within 30 days after the first or second dose of any COVID-19 vaccine. Results: Of 11 patients, five had arterial occlusion (45.4%), four had venous occlusion (36.4%), and two (18.2%) had nonspecific vascular alterations suggestive of retinal ischemia such as cotton-wool spots. The mean age was 57 (SD = 16; range: 27-84) years. The mean time of symptoms onset was 10 (SD = 5.4; range: 3-16) days. Nine patients were female (81.8%). Systemic risk factors were observed in 36.4% of patients. Two patients had both neurological and visual symptoms, with arterial occlusion. Overall, 36.4% patients had COVID-19 in the previous year. Seven patients (63.6%) received ChAdOx1 nCoV-19 (AZD1222) vaccine. Conclusions: Our data suggest that retinal events temporally related to COVID-19 vaccination are possible but are very rare. The relationship of these events with post-COVID-19 vaccination warrants further attention to derive a meaningful conclusion.
  • A medida da perfusão de retina/coroide por ressonância magnética no fechamento angular primário agudo Original Article

    Ayub, Gabriel; Campos, Brunno M.; Rezende, Thiago J. R.; Cendes, Fernando; Vasconcelos, José Paulo Cabral de; Costa, Vital Paulino

    Resumo em Português:

    RESUMO Objetivos: Mensurar a perfusão do complexo retina/coróide com ressonância magnética em olhos com fechamento angular primário agudo (FAPA). Métodos: Três sequências de ressonância magnética, duas anatômicas e uma de perfusão com gadolínio, foram adquiridas em pacientes com fechamento angular primário agudo. Regiões de interesse foram desenhadas na sequência de perfusão e sobrepostas à sequência anatômica. O volume de sangue relativo nos 2 primeiros segundos foi considerado como referência, e sua variação nos 28 segundos subsequentes foi analisada. Resultados: Cinco olhos de 5 pacientes com fechamento angular primário agudo foram incluídos (3 com crise unilateral e 2 com crise bilateral). Três olhos contralaterais e 2 olhos de 2 pacientes saudáveis, pareados por sexo e idade, foram incluídos no grupo controle. Pacientes com fechamento angular primário agudo incluíam 4 (80%) mulheres, com idade média de 65,8 ± 12,37 anos, pressão intraocular média de 56,2 ± 14,67 mmHg, pressão arterial média de 113,4 ± 8,17 mmHg e pressão de perfusão ocular de 57,2 ± 13,46mmHg. No grupo controle, pressão intraocular média foi de 15,6 ± 2,61 mmHg (p=0,0625), pressão arterial média de 107,4 ± 6,57 mmHg (p=1,00) e pressão de perfusão ocular de 91,8 ± 6,72 mmHg (p=0,0625). O volume de sangue relativo do complexo retina/coróide foi de -0,127 ± 0,048 nos olhos em fechamento angular primário agudo e -0,213 ± 0,116 nos olhos controles (p=0,3125). Conclusões: A sequência de ressonância magnética com gadolínio não demonstrou diferença na perfusão de retina/coroide em olhos com fechamento angular primário agudo.

    Resumo em Inglês:

    ABSTRACT Purpose: To measure retina/choroid complex perfusion with magnetic resonance imaging in eyes with acute primary angle-closure (APAC). Methods: Three sequences of magnetic resonance imaging, two anatomical and one perfusional using gadolinium, were acquired in patients who were diagnosed with acute primary angle-closure. Regions of interest were drawn on the perfusional sequence and overlaid to the anatomical sequence. The relative blood volume measured during the first 2 s was considered as the baseline value and the change during the subsequent 28 s was analyzed. Results: Five eyes of 5 patients with acute primary angle-closure were included (3 with unilateral and 2 with bilateral acute primary angle-closure). Three contralateral eyes and 2 eyes of 2 healthy patients, paired for age and sex, were included in the control group. Acute primary angle-closure patients included 4 (80%) women, with an average age of 65.8 ± 12.37 y, mean intraocular pressure of 56.2 ± 14.67 mmHg, mean arterial pressure of 113.4 ± 8.17 mmHg, and average ocular perfusion pressure of 57.2 ± 13.46 mmHg. In the control group, the mean intraocular pressure was 15.6 ± 2.61 mmHg (p=0.0625), the mean arterial pressure was 107.4 ± 6.57 mmHg (p=1.00), and the average ocular perfusion pressure was 91.8 ± 6.72 mmHg (p=0.0625). The relative blood volume of the retina/choroid complex was -0.127 ± 0.048 in acute primary angle-closure patients and -0.213 ± 0.116 in the controls (p=0.3125). Conclusion: The magnetic resonance imaging sequence with gadolinium did not show a change in the retina/choroid complex perfusion in the eyes of patients with acute primary angle-closure.
  • Adenoma sebáceo da conjuntiva e carúncula: relato clínico-patológico de três casos e revisão da literatura. Letters

    Dias, Mariana Borges Barcellos; Morales, Melina Correia; Fernandes, Arthur Gustavo; Rigueiro, Moacyr; Odashiro, Alexandre Nakao; Belfort Neto, Rubens Mattos

    Resumo em Português:

    RESUMO Tumores sebáceos da conjuntiva e carúncula são condições raras, sendo mais encontrados nas pálpebras. O ade noma sebáceo é responsável por 1% das lesões carunculares e ainda menos frequente nas lesões da conjuntiva. Esse diagnóstico é de suma importância pois quase 50% desses pacientes podem ser diagnosticados com a Síndrome de Muir-Torre, uma condição autossômica dominante rara que é caracterizada pela presença de ao menos um tumor de pele sebáceo e uma neoplasia visceral (gastrointestinal, câncer geniturinário e de mama). O estudo tem como objetivo relatar 3 casos de adenoma sebáceo com diferentes apresentações, que foram submetidos a biópsia excisional e estudo imuno-histoquímico. O diagnóstico desses tumores deve levantar suspeitas e aconselhar a investigação clínica para descartar outras neoplasias, principalmente porque em até 41% dos casos esse pode ser o primeiro sinal da Síndrome de Muir-Torre.

    Resumo em Inglês:

    ABSTRACT Sebaceous tumors of the conjunctiva and caruncle are rare conditions, accounting for 1% of caruncle lesions and even lower among conjunctival lesions. Almost 50% of cases are associated with Muir-Torre syndrome, a rare autosomal-dominant condition characterized by at least one sebaceous skin tumor and one visceral malignancy. We report 3 cases of sebaceous adenoma with different presentations that were submitted to excisional biopsy and immunohistochemical study. Diagnosis of these tumors should increase the level of suspicion and lead to clinical investigation to rule out neoplasms, particularly because in up to 41% of cases, these can be the first sign of the disease.
  • Técnica de livro aberto: uma abordagem cirúrgica do fórnice para tumores conjuntivais Letters

    Agi, Jorge; Sia, David I.T.; Weis, Ezekiel

    Resumo em Português:

    RESUMO O manejo cirúrgico de grandes tumores envolvendo o fórnice conjuntival pode ser desafiador, onde a exposição e as margens livres podem ser difíceis de serem alcançadas. Nesta série de casos, relatamos nossa experiência inicial com 4 pacientes usando a técnica de livro aberto. Através da cantotomia e da cantólise, esta abordagem cirúrgica fornece um amplo campo cirúrgico e também facilita a reconstrução do fórnice após a excisão de um tumor grande. Em nossa série, um paciente apresentou deiscência no canto lateral.

    Resumo em Inglês:

    ABSTRACT Surgical management of large tumors involving the conjunctival fornix can be challenging, as exposure and clear margins may be difficult to achieve. In this case series, we report our initial experience with the open book technique in 4 patients. Through a canthotomy and cantholysis, this surgical approach provides a wide surgical field and facilitates fornix reconstruction post large tumor excision. In our series, one patient had a lateral canthus dehiscence.
  • Diplopia de paresia do nervo abducente como sintoma de apresentação de COVID-19: relato de caso e revisão da literatura Letters

    Ben-David, Geulah S.; Halachmi-Eyal, Orly; Shyriaiev, Hana; Brikman, Shay; Dori, Guy; Briscoe, Daniel

    Resumo em Português:

    RESUMO As manifestações neurológicas de COVID-19 não são bem compreendidas. Relatamos o caso de um homem febril de 44 anos que apresentou visão dupla e dor de cabeça dois dias após os sintomas iniciais de fadiga, fraqueza muscular generalizada e perda de apetite. O paciente foi posteriormente diagnosticado com COVID-19 e paresia transitória do nervo abducente, não apresentando sintomas respiratórios ou achados neurológicos específicos adicionais. Como o número de casos tem aumentado em todo o mundo, sugerimos que os médicos tenham um índice de suspeita maior para COVID-19 em pacientes com neuropatias cranianas, mesmo em casos leves sem sintomas respiratórios típicos.

    Resumo em Inglês:

    ABSTRACT Neurological manifestations of novel coronavirus disease 3019 (COVID-19) remain unclear. We report the case of a 44-year-old febrile man who presented with double vision and headache 2 d after initial symptoms of fatigue, generalized muscle weakness, and loss of appetite. He was subsequently diagnosed with COVID-19 and transient abducens nerve paresis. He did not present with any respiratory symptoms or additional specific neurological findings. We recommend that with the rising number of cases across the world, physicians develop a greater index of suspicion for COVID-19 in patients with cranial neuropathies, even in those with mild disease without typical respiratory symptoms.
  • Síndrome dos múltiplos pontos brancos evanescentes após vacina por vírus inativado para COVID-19 (Sinovac-CoronaVac) Letters

    Tomishige, Kenzo S.; Novais, Eduardo A.; Finamor, Luciana P. dos S.; Nascimento, Heloísa M. do; Belfort Jr., Rubens

    Resumo em Português:

    RESUMO Paciente feminina de 38 anos com queixa de fotopsias e perda visual indolor em seu olho direito 2 semanas após ter recebido a primeira dose de vacina de vírus inativo para COVID-19 (Sinovac/China National Pharmaceutical Group). Ao exame Oftalmológico, apresentava padrão granular macular, múltiplas lesões cinza-esbranquiçadas no polo posterior, associado à reação vítrea inflamatória. O diagnóstico de múltiplos pontos brancos evanescentes foi realizado após análise multimodal. A paciente foi tratada com corticosteroides sistêmico e evoluiu com melhora da acuidade visual e do quadro clínico.

    Resumo em Inglês:

    ABSTRACT A 38-year-old woman presented with photopsias and progressive but painless loss of vision in her right eye. Of note, she had received the first dose of inactivated COVID-19 vaccine (Sinovac/China National Pharmaceutical Group) 2 weeks prior to the onset of symptoms. Ophthalmic evaluation revealed a wreath-like foveal pattern and multiple gray-white dots throughout the posterior pole associated with discrete vitreous inflammatory reaction. Multimodal imaging analysis confirmed a diagnosis of multiple evanescent white dot syndrome. The patient underwent treatment with corticosteroids and, over the following weeks, her visual acuity improved to standard pattern.
  • Coristomas de glândula lacrimal Original Article

    Cruz, Antonio Augusto V.; Limongi, Roberto Murillo; Feijó, Eduardo Damous; Enz, Tim Jürg

    Resumo em Português:

    RESUMO Descrever um caso de tecido de glândula lacrimal orbitário intracônico e revisar a literatura sobre choristomas lacrimais. Os termos heterotópico, ectópico, aberrante, choristoma e glândula lacrimal foram usados para procurar manuscritos em inglês, espanhol e francês. Todos os artigos encontrados foram revisados. Os choristomas lacrimais relatados foram classificados segundo a localização das lesões, aparência clínica, manejo e desfecho. Imagens de ressonância magnética de um novo caso orbitário comprovado por biópsia também são apresentadas. Foram revisados setenta e nove artigos, de 1887 a 2019, descrevendo 113 casos de choristomas constituídos por tecido de glândula lacrimal normal. Apenas 2 casos (2%) não estavam associados com o olho ou seus anexos. A maioria das 111 lesões restantes foram encontradas na superfície dos olhos (n=46) e nas órbitas (n=34). Os choristomas intraoculares foram encontrados em 18 pacientes. As demais lesões foram diagnosticadas nas pálpebras (n=10) e no sistema lacrimal (n=3). Os choristomas orbitais e intraoculares foram as lesões mais deletérias. Na órbita eles são frequentemente associados com diplopia permanente. Os choristomas lacrimais intraoculares imitam neoplasias e são uma causa comum de enucleação. Os choristomas lacrimais não são incomuns. Este tipo peculiar de lesão já foi induzido experimentalmente uma única vez e pode aparecer em uma variedade de locais associados ao globo e sua anexos. Os choristomas intraoculares têm um prognóstico visual ruim.

    Resumo em Inglês:

    ABSTRACT The purpose of this article was to report a case of intraconal lacrimal gland tissue and to review the literature on lacrimal gland choristoma. The magnetic resonance imaging findings of a biopsy-proven orbital case are also presented. A PubMed database search was performed using the key terms heterotopic, ectopic, aberrant, choristoma, and lacrimal gland to identify all the previously documented studies on lacrimal gland choristoma, in English, Spanish, and French. We classified the lacrimal gland choristoma cases classified according to the location of the lesions, clinical appearance, management, and outcome. The search targeting the period between 1887 and 2019 returned 79 articles, which were reviewed. We found a total of 113 cases of choristomas with normal lacrimal gland tissue. Only two of them were not associated with the eye or its adnexa while the remaining 111 lesions were found either on the ocular surface (n=46) or in the orbit (n=34). Intraocular choristomas were found in 18 patients, and the rest of the lesions were noted either on the eyelids (n=10) or in the lacrimal drainage system (n=3). Orbital and intraocular choristomas are the most harmful lesions as orbital choristomas are frequently associated with permanent diplopia while intraocular lacrimal gland choristomas have a poor visual prognosis and are a common cause of enucleation of the eye. In one of the reported cases, a corneal lacrimal gland choristoma had been experimentally induced by activating the FGF10 signaling pathway. Lacrimal gland choristomas are not uncommon. This peculiar type of lesion has been experimentally induced and may appear in a variety of locations associated with the globe and its adnexa.
  • Ceratite por Pseudomonas de transmissão comunitária: uma apresentação atípica em um bebê de 2 meses de idade evoluindo para transplante de córnea Letters To The Editor

    Teixeira, Fernando Henrique Flores; Biancardi, Ana Luiza; Vieira, Monick Goecking Cardoso; Alves, Julia; Tavares, Nycholas; Moreira, Paulo Phillipe; Curi, André Luiz Land
  • Resposta para: Ciclosporina A 0,05% antes e após a cirurgia do pterígio para a prevenção da recorrência Letters To The Editor

    Alacamli, Goksu
  • Alterações dinâmicas na densidade de vasos da retina observadas pela angiografia tomográfica de coerência óptica após a facoemulsificação: sistema fluídico ativo vs gravidade Letters To The Editor

    Liu, Xin; Fang, Yanwen; Zhou, Yao; Wang, Min; Luo, Yi
  • Um caso de hamartoma combinado de retina e epitélio de pigmento da retina com resposta à injecção intravitreal de ganciclovir Letters To The Editor

    Hong, Seo-Yeon; Lee, Jae Hoon; Lee, Mee Yon
  • O sistema renina-angiotensina e o desenvolvimento de novos medicamentos antiglaucoma Letters To The Editor

    Coelho, Aline Ruilowa de Pinho; Santos, Rodrigo da Silva; Reis, Angela Adamski da Silva
  • Genótipo CT do TXNRD2 (rs35934224) e glaucoma primário de ângulo aberto: correspondência Letters To The Editor

    Sookaromdee, Pathum; Wiwanitkit, Viroj
  • Endoftalmite bilateral por pseudomonas após cirurgia bilateral simultânea de catarata: primum non-nocere Letters To The Editor

    Ting, Eugene R; Trethowan, Julie A; Blah, Tyler R; Lin, Michael; Kvopka, Michael; Lee, Brendon; Cai, Tammy Y; Li, Jessica X.L; Fu, Michele Y; Lloyd, Declan T; Ong, Ru Min; Taylor, Oscar A. Boag; Xiradis, Nicholas; Sidhu, Amitouj S; Agar, Ashish; Francis, Ian C
Conselho Brasileiro de Oftalmologia Rua Casa do Ator, 1117 - cj.21, 04546-004 São Paulo SP Brazil, Tel: 55 11 - 3266-4000, Fax: 55 11- 3171-0953 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: abo@cbo.com.br